sexta-feira, 23 de junho de 2017

7 PARTIDOS SE UNEM PARA CRIAR FUNDO ELEITORAL DE R$ 3,5 BILHÕES

Presidentes de sete partidos fecharam um acordo para tentar aprovar a criação de um fundo eleitoral de R$ 3,5 bilhões até setembro deste ano. O objetivo é acelerar a tramitação para que a matéria passe a valer já nas eleições de 2018



Presidentes de sete partidos – PMDB, PSDB, DEM, PSB, PP, PR e PSD – fecharam um acordo para tentar aprovar a criação de um fundo eleitoral até setembro deste ano. O objetivo é acelerar a tramitação para que a matéria passe a valer já para a eleição de 2018.

Com uma estimativa inicial de R$ 3,5 bilhões, o fundo terá como parâmetro 50% dos gastos das campanhas de 2014 para presidente da República, governador, senador e deputados.

A proposta, que já está sendo elaborada pelo presidente do PMDB e líder do governo, Romero Jucá (RR), deverá ser apresentada na próxima semana e votada em caráter de urgência no Senado.

O entendimento dos dirigentes partidários é de que a Casa terá mais facilidade para costurar um acordo pela aprovação do texto. A Câmara analisaria o texto em seguida.

Pelo acordo entre os dirigentes das siglas, o fundo eleitoral será constituído em anos eleitorais e composto por uma parte do Orçamento geral da União e também de emendas parlamentares.

Metade do “fundão” seria dividida igualmente para os 35 partidos com registro; e outra parte seria dividida proporcionalmente ao tamanho das bancadas das siglas na Câmara e no Senado um ano antes da eleição.

Participaram do encontro nesta quarta-feira, 21, Jucá, o ministro das Comunicações, Gilberto Kassab, presidente do PSD; o senador Ciro Nogueira (PI), presidente do PP; Tasso Jereissati (CE), presidente interino do PSDB, senador José Agripino Maia (RN), presidente do DEM; Carlos Siqueira, presidente do PSB, e o senador suplente Antônio Carlos Rodrigues, presidente do PR.

Agência Estado

SÉRGIO MORO DESCUMPRE A LEI BRASILEIRA PARA ATENDER PEDIDO DOS EUA

Sergio Moro atropela lei brasileira para atender pedido dos EUA. O juiz autorizou produção de documento falso e abertura de conta secreta para agente da polícia norte-americana



Gustavo Aranda, Jornalistas Livres



O juiz Sergio Moro determinou em 2007 a criação de RG e CPF falsos e a abertura de uma conta bancária secreta para uso de um agente policial norte-americano, em investigação conjunta com a Polícia Federal do Brasil. No decorrer da operação, um brasileiro investigado nos EUA chegou a fazer uma remessa ilegal de US$ 100 mil para a conta falsa aberta no Banco do Brasil, induzido pelo agente estrangeiro infiltrado.

Na manhã da última terça-feira (20), os Jornalistas Livres questionaram o juiz paranaense sobre o assunto, por meio da assessoria de imprensa da Justiça Federal, que afirmou não ter tempo hábil para levantar as informações antes da publicação desta reportagem (leia mais abaixo).

Todas essas informações constam nos autos do processo nº. 2007.70.00.011914-0 – a que os Jornalistas Livres tiveram acesso – e que correu sob a fiscalização do Tribunal Regional Federal da 4ª Região até 2008, quando a competência da investigação foi transferida para a PF no Rio de Janeiro.

Especialistas em Direito Penal apontam ilegalidade na ação determinada pelo juiz paranaense, uma vez que a lei brasileira não permite que autoridades policiais provoquem ou incorram em crimes, mesmo que seja com o intuito de desvendar um ilícito maior. Além disso, Moro não buscou autorização ou mesmo deu conhecimento ao Ministério da Justiça da operação que julgava, conforme deveria ter feito, segundo a lei.
Entenda o caso

Em março de 2007, a Polícia Federal no Paraná recebeu da Embaixada dos Estados Unidos um ofício informando que as autoridades do Estado da Geórgia estavam investigando um cidadão brasileiro pela prática de remessas ilícitas de dinheiro de lá para o Brasil. Na mesma correspondência, foi proposta uma investigação conjunta entre os países.

Dois meses depois, a PF solicitou uma “autorização judicial para ação controlada” junto à 2ª Vara Federal de Curitiba, então presidida pelo juiz Sergio Moro, para realizar uma operação conjunta com autoridades policiais norte-americanas. O pedido era para que se criasse um Cadastro de Pessoa Física (CPF) falso e uma conta-corrente a ele vinculada no Brasil, a fim de que policiais norte-americanos induzissem um suspeito a remeter ilegalmente US$ 100 mil para o país. O objetivo da ação era rastrear os caminhos e as contas por onde passaria a quantia. A solicitação foi integralmente deferida pelo juiz Moro, que não deu ciência prévia ao Ministério Público Federal da operação que autorizava, como determina a lei:

“Defiro o requerido pela autoridade policial, autorizando a realização da operação conjunta disfarçada e de todos os atos necessários para a sua efetivação no Brasil, a fim de revelar inteiramente as contas para remeter informalmente dinheiro dos Estados Unidos para o Brasil. A autorização inclui, se for o caso e segundo o planejamento a ser traçado entre as autoridades policiais, a utilização de agentes ou pessoas disfarçadas também no Brasil, a abertura de contas correntes no Brasil em nome delas ou de identidades a serem criadas.”

No mesmo despacho, Moro determinou que não configuraria crime de falsidade ideológica a criação e o fornecimento de documentação falsa aos agentes estrangeiros: “Caso se culmine por abrir contas em nome de pessoas não existentes e para tanto por fornecer dados falsos a agentes bancários, que as autoridades policiais não incorrem na prática de crimes, inclusive de falso, pois, um, agem com autorização judicial e, dois, não agem com dolo de cometer crimes, mas com dolo de realizar o necessário para a operação disfarçada e, com isso, combater crimes.”

Depois disso, foram feitas outras quatro solicitações da PF ao juiz Moro, todas deferidas pelo magistrado sem consulta prévia à Procuradoria Federal. Atendendo aos pedidos, o juiz solicitou a criação do CPF falso para a Receita Federal:

“Ilmo. Sr. Secretário da Receita Federal,

A fim de viabilizar investigação sigilosa em curso nesta Vara e realizada pela Polícia Federal, vimos solicitar a criação de um CPF em nome da pessoa fictícia Carlos Augusto Geronasso, filho de Antonieta de Fátima Geronasso, residente à Rua Padre Antônio Simeão Neto, nº 1.704, bairro Cabral, em Curitiba/PR”.

Além disso, o magistrado solicitou a abertura de uma conta no Banco do Brasil, com a orientação de que os órgãos financeiros fiscalizadores não fossem informados de qualquer operação suspeita:

“Ilmo. Sr. Gerente, [do Banco do Brasil]. 

A fim de viabilizar investigação sigilosa em curso nesta Vara e realizada pela Polícia Federal, vimos determinar a abertura de conta corrente em nome de (identidade falsa).

(…) De forma semelhante, não deverá ser comunicada ao COAF ou ao Bacen qualquer operação suspeita envolvendo a referida conta”.

Criados o CPF e a conta bancária, as autoridades norte-americanas realizaram a operação. Dirigiram-se ao suspeito e, fingindo serem clientes, entregaram-lhe a quantia, solicitando que fosse ilegalmente transferida para a conta fictícia no Brasil.

Feita a transferência, o caminho do dinheiro enviado à conta falsa foi rastreado, chegando-se a uma empresa com sede no Rio de Janeiro. Sua quebra de sigilo foi prontamente solicitada e deferida. Como a empresa era de outro Estado, a investigação saiu da competência de Moro e do TRF-4, sendo transferida para o Rio.
Lei norte-americana aplicada no Brasil

A ação que Moro permitiu é prevista pela legislação norte-americana, trata-se da figura do agente provocador: o policial que instiga um suspeito a cometer um delito, a fim de elucidar ilícitos maiores praticados por quadrilhas ou bandos criminosos.

No caso em questão, o agente norte-americano, munido de uma conta falsa no Brasil, induziu o investigado nos EUA a cometer uma operação de câmbio irregular (envio de remessa de divisas ao Brasil sem pagamento dos devidos tributos).

Ocorre, porém, que o Direito brasileiro não permite que um agente do Estado promova a prática de um crime, mesmo que seja para elucidar outros maiores. A Súmula 145 do STF é taxativa sobre o assunto:
“Não há crime quando a preparação do flagrante pela polícia torna impossível a sua consumação.”

Ou seja, quando aquele que tenta praticar um delito não tem a chance de se locupletar por seus atos, caindo apenas em uma armadilha da polícia, o crime não se consuma.

É o que explica o advogado criminalista André Lozano Andrade: o agente infiltrado não deve ser um agente provocador do crime, ou seja, não pode incentivar outros a cometer crimes. “Ao procurar uma pessoa para fazer o ingresso de dinheiro de forma irregular no Brasil, o agente está provocando um crime. É muito parecido com o que ocorre com o flagrante preparado (expressamente ilegal), em que agentes estatais preparam uma cena para induzir uma pessoa a cometer um crime e, assim, prendê-la. Quando isso é revelado, as provas obtidas nesse tipo de ação são anuladas, e o suspeito é solto”, expõe Lozano.

Já Isaac Newton Belota Sabbá Guimarães, promotor do Ministério Público de Santa Catarina e professor da Escola de Magistratura daquele Estado, explica que “a infiltração de agentes não os autoriza à prática delituosa, neste particular distinguindo-se perfeitamente da figura do agente provocador. O infiltrado, antes de induzir outrem à ação delituosa, ou tomar parte dela na condição de co-autor ou partícipe, limitar-se-á ao objetivo de colher informações sobre operações ilícitas”.
Contestação Judicial

A ação policial autorizada por Moro levou à prisão vários indivíduos no âmbito da Operação Sobrecarga. Uma das defesas, ao impetrar um pedido de habeas corpus junto à presidência do TRF-4, apontando ilicitude nas práticas investigatórias, argumentou que seu cliente havia sido preso com base em provas obtidas irregularmente, e atacou a utilização de normas e institutos dos Estados Unidos no âmbito do Direito brasileiro:

“Data venia, ao buscar fundamento jurisprudencial para amparar a medida em precedentes da Suprema Corte estadunidense, a d. Autoridade Coatora (Sérgio Moro) se olvidou de que aquela Corte está sujeita a um regime jurídico diametralmente oposto ao brasileiro.”

“Enquanto os EUA é regido por um sistema de direito consuetudinário (common law), o Brasil, como sabido, consagrou o direito positivado (civil law), no qual há uma Constituição Federal extremamente rígida no controle dos direitos individuais passíveis de violação no curso de uma investigação policial. Assim, a d. Autoridade Coatora deveria ter bebido em fonte caseira, qual seja, a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal e das demais Cortes do Poder Judiciário brasileiro.”

O habeas corpus impetrado, no entanto, não chegou a ser analisado pelo TRF-4. É que, logo depois, em 2008, a jurisdição do caso foi transferida para a Justiça Federal do Rio de Janeiro. Lá, toda a investigação foi arquivada, depois que o STF anulou as interceptações telefônicas em Acórdão do ministro Sebastião Rodrigues atendendo outro habeas corpus impetrado por Ilana Benjó em defesa de um dos réus no processo.

Processo arquivado, crimes impunes.

Outro Lado

Os Jornalistas Livres enviaram na manhã da última terça-feira à assessoria de imprensa da Justiça Federal no Paraná, onde atua o juiz Sérgio Moro, as seguintes questões a serem encaminhadas ao magistrado:

“Perguntas referentes ao processo nº. 2007.70.00.011914-0

– Qual a sustentação legal para a solicitação do juiz Sérgio Moro para que a Receita Federal criasse CPF e identidade falsa para um agente policial dos Estados Unidos abrir uma conta bancária no Brasil em nome de pessoa física inexistente?

– Por que o juiz Moro atendeu ao pleito citado acima, originário da Polícia Federal, sem submetê-lo, primeiramente, à apreciação do Ministério Público Federal, conforme determina o ordenamento em vigor no país?

– Por que o juiz Moro não levou ao conhecimento do Ministério da Justiça os procedimentos que autorizou, conforme também prevê a legislação vigente?”

A assessoria do órgão não chegou a submeter os questionamentos ao juiz. Disse, por e-mail, que não teria tempo hábil para buscar as informações em arquivos da Justiça:

“Esse processo foi baixado. Portanto, para que consiga informações sobre ele precisamos buscar a informação no arquivo.

Outra coisa, precisa ver o que realmente ocorreu e entender pq o processo foi desmembrado para o Rio de Janeiro. Não tenho um prazo definido pra conseguir levantar o processo. Também preciso entender como proceder para localizar o processo aqui. Infelizmente essa não é minha política, mas não consigo te dar um prazo para resposta neste momento. Fizemos pedidos para o juiz e para o TRF-4.

Sugiro que vc (sic) tente com a Justiça Federal do Rio de Janeiro também.

Espero que compreendas.

Assim que tiver alguma posição, te aviso.”




quarta-feira, 21 de junho de 2017

MILHÕES DE ADULTOS DOS EUA ACREDITAM QUE ACHOCOLATDO VEM DE ' VACA MARROM'

16,4 milhões de norte-americanos acham que leite com chocolate vem de vaca marrom, indica estudo. Resultados apontam ainda que pessoas desconhecem origem de hambúrgueres, picles e batatas fritas

Montagem: Pragmatismo Político

Uma pesquisa divulgada pelo Innovation Center of U.S. Dairy apontou que 7% dos adultos norte-americanos acreditam que o leite com chocolate é derivado de vacas marrons. Isso é equivalente a 16,4 milhões de pessoas que acreditam que a cor do animal estaria relacionada com a do leite. A quantidade é equivalente à população de todo o Estado da Pensilvânia.

De acordo com uma reportagem publicada nesta sexta (16/06) pelo jornal Washington Post, um estudo realizado pela Universidade de Columbia, no início dos anos 1990, já havia um panorama ainda maior sobre o desconhecimento da população norte-americana sobre agricultura e produção de alimentos. O estudo destacou que uma em cada cinco pessoas não sabia que hambúrgueres são feitos com carne, nem sabiam qual era o tamanho das fazendas dos EUA ou quais são os alimentos que os animais consomem.

Para Cecily Upton, co-fundadora da ONG Food Corps, que trabalha para introduzir conhecimentos ligados à agricultura e nutrição no ensino básico, os estudos revelam um problema maior: “Neste momento, nós somos condicionados a pensar que, se você precisa de comida,você vai até a loja. Nada em nosso quadro educacional ensina as crianças de onde vem o alimento antes desse ponto “. Segundo Upton, lições básicas poderiam contribuir para problemas de saúde como obesidade e doenças cardíacas. “Nós ainda encontramos crianças que ficam surpresas em saber que batatas fritas vêm de uma batata”, afirmou a pesquisadora ao Post.

Outro levantamento – este realizado pela Universidade da Califórnia – entrevistou estudantes do ensino fundamental e obteve conclusões que comprovam o pensamento de Upton. De acordo com o estudo, mais da metade dos alunos entrevistados não sabiam que o picles em conserva é, na verdade, pepino, nem que cebola e alface eram vegetais. Além disso, quatro em cada 10 estudantes disseram não saber que hambúrgueres eram feitos de carne e que três em cada dez não sabiam que o queijo é derivado do leite.

Para a historiadora Ann Vileisis, essa falta de conhecimento pode ser explicada pela formação da sociedade norte-americana. Em seu livro Kitchen Literacy, Vileisis afirma que, em meados dos anos 1800, a maioria da população estava migrando para as cidades e se afastando das zonas rurais e agrícolas. Esse processo se intensificou com a chegada de novas tecnologias de transporte e manufatura de alimentos, que permitiram que a comida chagasse mais rápido às cidades e pudesse ser consumida de diferentes formas.

Para a historiadora, “a indiferença sobre as origens e sobre a produção de alimentos tornou-se uma norma da cultura urbana, formando a base de uma sensibilidade alimentar moderna que se espalharia por toda a América nas décadas que se seguiram”.

Opera Mundi

TERMINAIS ROÇA GRANDE E SANTA CÂNDIDA INICIAM A PARTIR DE HOJE A INTEGRAÇÃO

Foto: Divulgação COMEC

A partir desta quarta-feira (21), os usuários do Terminal Roça Grande, em Colombo, terão integração com o Terminal Santa Cândida, na Capital. Para efetivar a integração, a Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec) está implantando uma nova linha de ônibus, a S31-Roça Grande/Santa Cândida. O público poderá embarcar no Terminal Roça Grande, desembarcar dentro do Terminal Santa Cândida e se conectar com as demais linhas de ônibus sem pagar uma nova passagem. Cerca de 3 mil usuários devem ser beneficiados com a mudança. 

Os usuários da região aguardam esta integração desde que o Terminal Roça Grande foi criado, em 2009. Diariamente, cerca de 10 mil pessoas neste terminal e cerca de 30% utilizam a Rede Integrada de Transportes (RIT), pagando uma segunda tarifa. Estes passageiros desembarcavam ao longo do caminho para acessar outros terminais de Curitiba.

Programação

A operação da S31-Roça Grande/Santa Cândida será diária, com início nesta quarta-feira (21), às 11 horas, saindo do Terminal Roça Grande. No horário de pico, serão ofertados ônibus a cada 20 minutos e, no entrepico, a cada 30 minutos. Nos próximos dias será feito um processo de calibragem operacional da nova linha, que estará em pleno funcionando a partir de segunda-feira (26). 

Para acessar esta linha os usuários deverão ter dois cartões. Para embarcar no Terminal Roça Grande utilizarão o cartão metropolitano Metrocard e, no retorno, o cartão Urbs.

Esta integração é resultado do protocolo de intenções, assinado em 16 de janeiro de 2017, entre a Comec e Urbanização de Curitiba (Urbs) para elaboração de estudos e trabalhos técnicos para a implantação do novo sistema metropolitano de transporte integrado de passageiros. 
Atenção

A ligação direta do Terminal Roça Grande com o Terminal Guadalupe, no Centro de Curitiba, continua através da linha S01-RoçaGrande/Guadalupe.

Fonte: AEN.

PREFEITO DE CURITIBA ALERTA, SERVIDORES SOBRE AS MEDIDAS DE AJUSTES FISCAIS, SE, NÃO FOREM APROVADAS

Conheça o que é o pacote fiscal

Segundo a prefeitura, as medidas do projeto de ajuste fiscal são necessárias para manter o equilíbrio nas contas públicas.

Das 12 propostas, sete foram aprovadas apenas pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação. Das sete, três ainda precisam ser analisadas por outras comissões, antes da apreciação em Plenário.

Os quatro projetos, que vão para a votação em Plenário, já foram aprovados pela Comissão de Economia e pela Comissão de Legislação, Justiça e Redação.

Projetos com parecer favorável na Comissão de Legislação

A Comissão de Legislação, Justiça e Redação da Câmara de Vereadores já votou e aprovou sete projetos:

O projeto de lei que altera a contribuição dos servidores no Instituto de Previdência do Município de Curitiba (IPMC)

Leilão de dívidas públicas acima de R$ 200 mil

Mudanças no Imposto Sobre a Transmissão de Bens Imóveis (ITBI)

A proposta que desvincula taxa de coleta de lixo do Imposto sobre a Propriedade 

Predial e Territorial Urbana (IPTU)

Cadastro Informativo Municipal (Cadin)

Criação do Documento Eletrônico Certificado (DEC)

O texto que altera o programa "Boa Nota Fiscal"

Nas discussões, conheça os assuntos debatidos para o Plano de Recuperação proposto pela Prefeitura de Curitiba

Alteração na contribuição dos servidores no Instituto de Previdência do Município de Curitiba (IPMC)

Criação de um regime de previdência complementar, com fixação de um limite para pagamento de aposentadorias e pensões que corresponde ao valor pago pelo Regime Geral de Previdência Social (teto do INSS);

Leilão de dívidas públicas acima de R$ 200 mil;

Criação do "Domicílio Eletrônico do Contribuinte" - uma espécie de certificação digital para o cidadão se relacionar com o Executivo;

Criação de um "Cadastro Informativo Municipal" (Cadin Municipal) para identificar quem deve dinheiro ao Executivo;

Alterações no Programa "Boa Nota Fiscal", que será chamado de "Nota Curitibana" e passaria a premiar, em sorteios, o tomador de serviços e as empresas que utilizam a NFS-e (Nota Fiscal de Serviços Eletrônica);

Desvinculação da taxa de coleta de lixo ao IPTU;

Mudanças no ITBI com aumento da alíquota transmissão de bens imobiliários de 2,4% para 2,7% para imóveis financiados até R$ 300 mil;

Alteração de alíquotas cobradas pelo município;

Mudanças no plano de carreira e na data-base dos servidores municipais;
Criação da Lei de Responsabilidade Fiscal Municipal;

Estabelecimento de uma nova meta fiscal - a proposta altera a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e admite um deficit orçamentário em 2017 de R$ 2,1 bilhões.

video


VÍDEO: RPC DE CURITIBA


APÓS INVASÃO, CÂMARA DE CURITIBA SUSPENDE SESSÕES ATÉ A PRÓXIMA SEMANA

O plenário ficou ocupado por seis horas e só foi liberado no final desta tarde


Manifestantes passaram pelo isolamento policial, na escadaria do Palácio Rio Branco, e ocuparam o local onde ocorreria o debate. Pessoas foram atendidas pelo setor médico do Legislativo (Foto: Chico Camargo/CMC)


A sessão plenária que votaria o Plano de Recuperação da Prefeitura de Curitiba, chamado pelos servidores municipais de “Pacotaço do Greca”, foi suspensa até a próxima semana. O site da Câmara Municipal diz que "as sessões estão suspensas por tempo indeterminado e não acontecerão, com certeza, até a próxima segunda-feira (26)", conforme comunicado do vereador Serginho do Posto (PSDB), presidente da Casa.

A sessão teve uma pausa na manhã desta terça-feira (20), depois que os servidores desceram das galerias e ocuparam o plenário da casa. Após quatro horas de reunião com os parlamentares das bases, a Câmara suspendeu definitivamente as sessões. O plenário ficou ocupado por seis horas e só foi liberado no final desta tarde.

O líder do governo da Casa, vereador Pier Petruzziello, disse que a invasão da Câmara fere o direito à democracia. “Não vamos deixar que nenhum tipo de violência ocorra. Isso aqui é um processo interno, nós fomos eleitos e temos nossa legitimidade para votar, mas hoje não tivemos o direito de exercer a democracia”, disse.

Reintegração de posse

A Câmara Municipal de Curitiba entrou com um pedido reintegração de posse na Justiça. A juíza da 5ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba, Patrícia de Almeida Gomes Bergonse, determinou a desocupação do plenário por parte dos servidores municipais, sob pena de multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento.

RIC Mais Paraná

AÉCIO NEVES PERDE QUASE 100 MIL SEGUIDORES NO FACEBOOK

Desde que os áudios que incriminam Aécio Neves foram divulgados, o tucano já perdeu quase 100 mil seguidores no Facebook. Os dados são da ferramenta de monitoramento de redes Quintly



Desde que a gravação entre o senador Aécio Neves (PSDB) e o empresário Joesley Batista, da JBS, foi divulgada, no dia 17 de maio, o parlamentar só perdeu seguidores no Facebook.

Segundo lugar entre os presidenciáveis com mais fãs na rede social – atrás apenas do deputado federal Jair Bolsonaro -, o tucano tinha 84 mil seguidores a mais um dia antes de o escândalo envolvendo a JBS vir à tona, segundo a ferramenta de monitoramento de redes Quintly.

Em uma análise entre os dias 15 de maio e 20 de junho, a queda mais brusca de fãs foi no dia 18 de maio, como mostra o gráfico feito pela Quintly.

Nesse dia, o ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), mandou prender a irmã e um primo do tucano a partir de acusações feitas por Joesley em delação firmada com o Ministério Público Federal.

Embora neste dia tenha havido um aumento nas interações com a página – isto é, comentários, curtidas e compartilhamentos -, a pico de participação de internautas veio dias depois, em 23 de maio, quando o senador publicou um vídeo em sua defesa. Nele, o senador afirmou que recorreu ao empresário da JBS para vender um apartamento de sua família no Rio de Janeiro porque “não fez dinheiro na vida pública”.

No dia em que a Primeira Turma do STF julga os recursos contra a liminar de afastamento do senador Aécio Neves (PSDB–MG) e o pedido de prisão do parlamentar feito pela Procuradoria Geral da República (PGR), o senador foi parar nos assuntos mais comentados do Twitter, com a hashtag #AécioNaCadeia.

Atrás de Bolsonaro (4,37 milhões de seguidores) e Aécio (4,27 milhões), estão o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2,9 milhões), o prefeito de São Paulo João Doria (2,76 milhões), a ex-ministra Marina Silva (2,35 milhões), o governador de São Paulo Geraldo Alckmin (860 mil) e o ex-ministro Ciro Gomes (121 mil).

O tucano é acusado pelos crimes de corrupção e obstrução de Justiça. Ele foi gravado pelo empresário Joesley Batista, do grupo JBS, pedindo propina e falando em medidas para barrar o avanço da Operação Lava Jato.

Sem comentar o movimento nas redes sociais, a defesa do senador disse, por meio de nota, que “o dinheiro foi um empréstimo oferecido por Joesley Batista com o objetivo de forjar um crime que lhe permitisse obter o benefício da impunidade penal”.

Ainda segundo os advogados, o empréstimo não envolveu dinheiro público e “nenhuma contrapartida por parte do senador, não se podendo, portanto, falar em propina ou corrupção”. “O senador tem convicção de que as investigações feitas com seriedade e isenção demonstrarão os fatos verdadeiramente ocorridos”, finaliza a nota.

Agência Estado

EDSON FACHIN RETIRA DE SÉRGIO MORO INVESTIGAÇÃO CONTRA O EX-PRESIDENTE LULA

O ministro Edson Fachin retirou do juiz Sergio Moro as investigações contra o ex-presidente Lula baseadas em delações da Odebrecht



O ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), tirou do juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, três casos contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que tiveram origem nas delações premiadas de executivos e ex-funcionários da Odebrecht.


Um diz respeito ao suposto tráfico de influência do ex-presidente, que em troca de vantagens indevidas teria atuado em favor da empresa em negociações referentes a Angola, mesmo que em prejuízo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O pedido de investigação sobre o assunto teve origem nos depoimentos de Emílio Odebrecht e Marcelo Bahia Odebrecht, controladores do grupo, e de mais três ex-funcionários da empresa.

Fachin determinou a remessa das provas referentes a esse caso para a Justiça Federal do Distrito Federal, por se tratarem “de fatos que supostamente se passaram na capital da República”, escreveu o ministro no despacho divulgado nesta terça-feira (20).

“Assim, do cotejo das razões recursais com os depoimentos prestados pelos colaboradores não constato, realmente, relação dos fatos com a operação de repercussão nacional que tramita perante a Seção Judiciária do Paraná”, escreveu Fachin. O ministro acatou um recurso da defesa.

Outro caso trata da suposta atuação de Lula e também da ex-presidente Dilma Rousseff em favor da liberação de recursos do BNDES para a construção das Usinas Hidrelétricas de Jirau e de Santo Antônio, ambas em Rondônia.

Eles também teriam agido para acelerar licenças ambientais, segundo o depoimento de Emílio Odebrecht e de Henrique Serrano de Prado, ex-executivo da área de energia. A investigação foi remetida por Fachin também ao Distrito Federal.

Um terceiro caso trata do suposto pagamento de uma mesada pela Odebrecht a José Ferreira da Silva, o Frei Chico, líder sindical e irmão de Lula, segundo relatos dos ex-executivos da empresa Hilberto Mascarenhas Filho e Alexandrino Alencar.

Os repasses seriam feitos como um modo de prestigiar o ex-presidente, declararam os colaboradores. Fachin determinou que a investigação sobre o assunto seja remetida à Justiça Federal de São Paulo, também a pedido da defesa de Lula.

Nas três situações, a Procuradoria-Geral da República (PGR) se manifestou contra a retirada dos processos de Moro, alegando que guardam relação com as investigações da Lava Jato conduzidas no Paraná.

terça-feira, 20 de junho de 2017

PLANO DE RECUPERAÇÃO DE CURITIBA

38 emendas serão votadas nesta terça

CÂMARA MUNICIPAL DE CURITIBA

Os quatro projetos do Plano de Recuperação na pauta de votaçãodesta terça-feira (20), para análise em primeiro turno, têm 40 emendas anexadas. Duas serão retiradas, conforme requerimentos já apresentados, uma vez que o líder do prefeito na Câmara Municipal, Pier Petruzziello (PTB), protocolou alterações ao porcentual que limita o gasto com pessoal (subindo de 70% para 80% da receita corrente líquida) e prazo de 18 meses para a revisão dos planos de carreira. Desta forma, as 38 emendas serão votadas hoje junto com os projetos de lei.

A tramitação das proposições pode ser conferida no site especial que concentra as informações sobre o Plano de Recuperação, pois os links dos projetos apresentam as emendas vinculadas a cada um. Suspensa após acordo entre vereadores e os sindicatos que representam os servidores municipais, a sessão plenária de hoje é a retomada dos trabalhos interrompidos na semana passada (13). Os quatro projetos do Plano de Recuperação, como tramitam em regime de urgência, “trancam a pauta” até que se encerrem as votações ou tenham o regime extinto (leia mais).

Gasto com pessoal
As duas últimas emendas apresentadas aos projetos do Plano de Recuperação que tramitam em urgência foram as apresentadas por Petruzziello. Uma das emendas propostas por Pier (034.00040.2017) altera o texto do artigo 18 do projeto de Lei de Responsabilidade Fiscal (002.00020.2017). A variação de que trata o texto passa a ser “nominal” e passa a ser de 80%, dez por cento a mais do que o previsto no texto original. 

Felipe Braga Côrtes (PSD) já havia comentado sobre a sugestão na reunião da comissão de Legislação, Justiça e Redação realizada no dia 7 de junho (leia mais). Para o vereador, o texto do projeto original estava redigido “de modo que não se propicia a devida clareza para o intérprete da norma, pelo fato de não especificar se a variação da despesa é nominal ou percentual”. 

A outra emenda (032.00014.2017) está vinculada ao projeto que posterga de 31 de março para 31 de outubro a data-base e congela carreiras do funcionalismo (005.00196.2017). A emenda protocolada por Petruzziello estipula que as comissões citadas na norma, para revisar os planos de carreira do funcionalismo, terão até 18 meses para a conclusão de seus trabalhos.

CÂMARA DE CURITIBA AMANHECE CERCADA NO DIA DA VOTAÇÃO DO AJUSTE FISCAL.

Câmara amanhece cercada no dia de votação do ajuste fiscal. Veja vídeo - Bem Paraná

https://www.facebook.com/bemparana/videos/1401241823301359/



A Câmara de Vereadores de Curitiba amanheceu nesta terça-feira, 20, totalmente cercada por policiais. O pátio estava tomado por mais de 30 viaturas policiais. 

O esquema de segurança, registrado na manhã desta segunda-feira, 19, véspera da nova tentativa de votar o pacote de ajuste fiscal proposto pelo prefeito Rafael Greca (PMN), foi ainda mais reforçado. 

Nesta terça-feira (20), os vereadores retomam a discussão dos quatro projetos sob regime de urgência, que prevêem a suspensão dos planos de carreira e da data-base do reajuste salarial anual dos servidores, o aumento nas contribuições previdenciárias e o repasse de R$ 600 milhões do fundo de aposentadoria municipal para a prefeitura, limites para os gastos com pessoal e o leilão de dívidas do município.

Segundo o presidente da Casa, vereador Serginho do Posto (PSDB), se for necessário, será acionado o interdito proibitório obtido na semana passada, pela Câmara, na Justiça, que proíbe a ocupação do Legislativo, sob pena de multa de R$ 50 mil e determina a reintegração de posse em caso de nova invasão. De acordo com o tucano, caberá à PM garantir o acesso de vereadores e funcionários à Casa.

Os sindicatos dos servidores, que ontem promoveram uma panfletagem contra as medidas na Boca Maldita, Centro da Capital, e um “café da manhã” em frente à Casa do prefeito, prometem mobilizar a categoria para pressionar os parlamentares a rejeitarem os projetos, ou retirá-los de pauta. Greca saiu por um portão lateral no sentido oposto à concentração dos servidores e deixou o prédio sem conversar com os manifestantes.

O prefeito alega que a aprovação das medidas é a única forma de garantir a recuperação da situação financeira da prefeitura e o pagamento em dia dos salários dos servidores, além da manutenção dos serviços públicos, diante do déficit de R$ 2,1 bilhões no Orçamento de 2017. Os sindicatos dos servidores criticam a suposta falta de diálogo na discussão das medidas e o regime de urgência para a votação dos projetos.

Na terça-feira (13) da semana passada, a primeira tentativa de votar as propostas terminou com a Câmara invadida e a sessão suspensa. Parte dos vereadores foi impedida de entrar na Casa em razão do bloqueio da sede do Legislativo pelos manifestantes. Antes da sessão, a direção da Câmara restringiu o acesso às galerias do plenário a no máximo 20 pessoas, alegando questões de segurança. Uma reunião na quarta-feira, entre os sindicalistas e o secretário municipal de Governo, Luiz Fernando Jamur, terminou sem avanços nas negociações. 

Ataque virtual

O pedido de votação em regime de urgência dos projetos apresentado pela líder do prefeito na Casa, vereador Pier Petruzziello (PTB), foi aprovado com o apoio de 20 parlamentares da base governista. Na ocasião, Petruzziello alegou que a tramitação das propostas já havia sido atrasada pela invasão da Câmara no dia 22 de maio, durante a discussão das matérias na Comissão de Legislação e Justiça.

No final de semana, o impasse também chegou às redes sociais. A Prefeitura bloqueou as avaliações de sua página no Facebook após uma série de avaliações negativas feitas por usuários. A administração municipal alegou que a página teria sido alvo de um “ataque orquestrado”.

sexta-feira, 16 de junho de 2017

LISTA DAS PIORES FACULDADES DO BRASIL TEM MAIS DE 300 INSTITUIÇÕES

MEC divulga a lista das piores faculdades do Brasil. Confira quais são as instituições de ensino superior que tiveram nota muito baixa no IGC (Índice Geral de Cursos), indicador oficial de qualidade



O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta semana o ranking das faculdades brasileiras que tiveram nota muito baixa no IGC (Índice Geral de Cursos), indicador oficial de qualidade.

De 2.109 instituições de ensino superior avaliadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), 313 tiveram avaliação insatisfatória.


O IGC é o indicador oficial de qualidade do ensino superior no Brasil, é calculado todos os anos e é de responsabilidade do MEC. A mais recente avaliação, do ciclo de 2015, cujos resultados eram aguardados no fim de 2016 foi divulgada agora no site do INEP.

O índice vai de 1 a 5 e as notas na faixa 1 e 2 indicam mau desempenho passível de punição. Uma delas, por exemplo, pode ser até proibição de novos vestibulares até que medidas para a melhora de desempenho sejam postas em prática.


Algumas instituições da list aparecem sem conceito, ou com a informação de descredenciamento ou ainda com a ressalva de que estão sub-júdice.


As avaliações são divididas entre universidades, institutos federais, centros universitários e faculdades. Abaixo, veja o ranking das piores faculdades do Brasil:
1. Universidades e IFETs (Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia)
AnoNome da InstituiçãoCateg. AdministrativaEstadoNúmero de Cursos avaliados no triênioIGC (Contínuo)IGC (faixa)

2015 UNIVERSIDADE DO TOCANTINS Pessoa Jurídica de Direito Público – Estadual TO 13 1,4482 2

2015 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Acre Pessoa Jurídica de Direito Público – Federal AC 5 1,9444 2


2. Centros universitários e CEFET (Centro Federal de Educação Tecnológica)
AnoNome da InstituiçãoCateg. AdministrativaEstadoNúmero de Cursos avaliados no triênioIGC (Contínuo)IGC (faixa)

2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO PAULISTANO Privada sem fins lucrativos SP 6 1,6781 2
2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIRG Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal TO 15 1,8121 2

2015 CONSERVATÓRIO BRASILEIRO DE MÚSICA – CENTRO UNIVERSITÁRIO Privada sem fins lucrativos RJ 1 1,8600 2

2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO LUTERANO DE MANAUS Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação AM 11 1,9344 2


3. Faculdades
Ano Nome da instituiçãoCateg. AdministrativaEstadoNúmero de Cursos avaliados no triênioIGC (Contínuo)IGC (faixa)
2015 ESCOLA SUPERIOR EM MEIO AMBIENTE Privada sem fins lucrativos MG 1 0,2211 1
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DE ARARIPINA Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 1 0,7441 1
2015 FACULDADE CANDIDO MENDES DE VITÓRIA Privada sem fins lucrativos ES 2 0,7563 1
2015 ESCOLA DE ENGENHARIA DE AGRIMENSURA Privada sem fins lucrativos BA 1 0,8393 1
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO VERA CRUZ Privada sem fins lucrativos SP 1 0,8845 1
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE CRUZEIRO DO OESTE Privada com fins lucrativos PR 1 0,9103 1
2015 Faculdade Integrada de Araguatins Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação TO 1 0,9114 1
2015 FACULDADE DE MÚSICA CARLOS GOMES Privada com fins lucrativos SP 1 0,9329 1
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA FATEP Privada com fins lucrativos SP 1 0,9329 1
2015 FACULDADE JATAIENSE Privada com fins lucrativos GO 1 0,9926 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO CARLOS CHAGAS Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal MG 1 1,0516 2
2015 FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE ITAPETININGA Privada com fins lucrativos SP 3 1,0642 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIA E EDUCAÇÃO DO CAPARAÓ Privada com fins lucrativos ES 2 1,0820 2
2015 FACULDADE TECNOLÓGICA INAP Privada com fins lucrativos MG 2 1,0900 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ITAPETININGA Privada com fins lucrativos SP 2 1,0949 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS DA SAÚDE ARCHIMEDES THEODORO Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal MG 2 1,1028 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS CORAÇÃO DE JESUS Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação SP 1 1,1100 2
2015 Faculdade Presidente Antônio Carlos de Vazante Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 2 1,1525 2
2015 Faculdade Presidente Antônio Carlos de Uberaba Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 5 1,1762 2
2015 FACULDADE SANTA CRUZ Privada com fins lucrativos PE 1 1,1860 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO PROFESSORA NAIR FORTES ABU-MERHY Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal MG 2 1,2293 2
2015 FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE PARAÍSO DO TOCANTINS Privada com fins lucrativos TO 1 1,2395 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS E SOCIAIS DE MACEIÓ Privada com fins lucrativos AL 1 1,2587 2
2015 FACULDADE UNIME DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Privada com fins lucrativos BA 1 1,2644 2
2015 FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE DUQUE DE CAXIAS Privada sem fins lucrativos RJ 6 1,2663 2
2015 FACULDADE EFICAZ Privada com fins lucrativos PR 1 1,2735 2
2015 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE SABARÁ Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 1 1,2736 2
2015 FACULDADE PARAÍBANA Privada sem fins lucrativos PB 2 1,2742 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS APLICADAS DE LIMOEIRO Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 2 1,2807 2
2015 INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DE SAMAMBAIA Privada com fins lucrativos DF 2 1,2867 2
2015 FACULDADE DE PIRACANJUBA Privada com fins lucrativos GO 1 1,2931 2
2015 FACULDADE EDUCACIONAL DE PONTA GROSSA Pessoa Jurídica de Direito Privado – Com fins lucrativos – Sociedade Civil PR 2 1,2950 2
2015 INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS Privada com fins lucrativos GO 1 1,3050 2
2015 FACULDADE DE ODONTOLOGIA DE MANAUS Privada sem fins lucrativos AM 1 1,3101 2
2015 FACULDADE JK DE TECNOLOGIA Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Associação de Utilidade Pública DF 2 1,3106 2
2015 Faculdade Presidente Antônio Carlos de Congonhas Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 3 1,3183 2
2015 FACULDADE DE CARIACICA Privada com fins lucrativos ES 3 1,3290 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DE ARARIPINA – FACISA Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 2 1,3341 2
2015 FACULDADE MUNICIPAL PROFESSOR FRANCO MONTORO DE MOGI GUAÇU Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal SP 5 1,3628 2
2015 FACULDADE ITANHAÉM Privada com fins lucrativos SP 1 1,3689 2
2015 FACULDADE LA SALLE – CAXIAS Privada sem fins lucrativos RS 1 1,3783 2
2015 FACULDADE DE ENFERMAGEM DE BELO JARDIM Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 1 1,3852 2
2015 FACULDADE SÃO TOMAZ DE AQUINO Privada com fins lucrativos BA 1 1,3882 2
2015 FACULDADE INTESP Privada sem fins lucrativos SP 1 1,3891 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS DE CASSILÂNDIA Privada com fins lucrativos MS 2 1,3908 2
2015 FAMAC – FACULDADE DE MACHADINHO DO OESTE Privada com fins lucrativos RO 1 1,3954 2
2015 Faculdade Villas Boas Pessoa Jurídica de Direito Privado – Com fins lucrativos – Sociedade Civil SP 1 1,4125 2
2015 FACULDADE SÃO FRANCISCO DE PIUMHI Privada com fins lucrativos MG 1 1,4143 2
2015 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE ITAJUBÁ Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 1 1,4171 2
2015 INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR SANTA CECÍLIA Privada com fins lucrativos AL 3 1,4172 2
2015 FACULDADE DE ESTUDOS SOCIAIS APLICADOS DE VIANA Privada sem fins lucrativos ES 1 1,4180 2
2015 FACULDADE DO SERTÃO Privada com fins lucrativos BA 2 1,4182 2
2015 FACULDADE DO VALE ELVIRA DAYRELL – FAVED Privada com fins lucrativos MG 1 1,4197 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS GERENCIAIS DA BAHIA Privada com fins lucrativos BA 2 1,4223 2
2015 FACULDADE DE SÃO ROQUE Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação SP 2 1,4251 2
2015 FACULDADE REGIONAL DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE CANDEIAS Privada com fins lucrativos BA 2 1,4270 2
2015 FACULDADE DE PEDAGOGIA Privada sem fins lucrativos MS 1 1,4282 2
2015 FACULDADE DA AMAZÔNIA Privada com fins lucrativos RO 4 1,4320 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO SÃO JUDAS TADEU Privada com fins lucrativos PI 1 1,4341 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ALBERT EINSTEIN Privada com fins lucrativos DF 1 1,4371 2
2015 FACULDADE AFIRMATIVO Privada com fins lucrativos MT 4 1,4431 2
2015 FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE ARARIPINA Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 3 1,4512 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DE MARABÁ Privada com fins lucrativos PA 2 1,4525 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DO SERTÃO CENTRAL Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 6 1,4541 2
2015 ESCOLA SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS Pessoa Jurídica de Direito Privado – Com fins lucrativos – Sociedade Civil SP 2 1,4544 2
2015 FACULDADE ATUAL Privada com fins lucrativos AP 2 1,4568 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA ASSESSORITEC Privada sem fins lucrativos SC 2 1,4591 2
2015 Faculdade do Bico do Papagaio Privada sem fins lucrativos TO 1 1,4592 2
2015 FACULDADE BARDDAL DE ARTES APLICADAS Privada com fins lucrativos SC 2 1,4625 2
2015 FACULDADE DE ARAÇATUBA Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação SP 1 1,4635 2
2015 NOVA FACULDADE Privada com fins lucrativos MG 3 1,4690 2
2015 FACULDADE DE FILOSOFIA CIÊNCIAS E LETRAS DE SÃO JOSÉ DO RIO PARDO Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal SP 4 1,4749 2
2015 FACULDADE RAIMUNDO MARINHO DE PENEDO Privada sem fins lucrativos AL 3 1,4760 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE MACAPÁ Privada com fins lucrativos AP 1 1,4781 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA FRANCISCO MORATO Privada com fins lucrativos SP 3 1,4793 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC JARAGUÁ DO SUL Privada sem fins lucrativos SC 2 1,4837 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA ENSITEC Privada com fins lucrativos PR 1 1,4843 2
2015 FACULDADE PAULISTA DE SERVIÇO SOCIAL Privada sem fins lucrativos SP 1 1,5066 2
2015 FACULDADE SANTO AGOSTINHO Privada com fins lucrativos BA 1 1,5068 2
2015 FI – FACULDADE IGUAÇU Privada com fins lucrativos PR 1 1,5165 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA CETEP Privada sem fins lucrativos PR 1 1,5192 2
2015 FACULDADE EVANGÉLICA CRISTO REI – DESCREDENCIADA ( DESPACHO SERES/MEC 15/2015, PUBLICADO NO DOU DE 09/03/2015) Privada sem fins lucrativos PI 1 1,5227 2
2015 FACULDADE IPEMED DE CIÊNCIAS MÉDICAS Privada com fins lucrativos MG 1 1,5245 2
2015 FACULDADE PAN AMERICANA Privada sem fins lucrativos PA 3 1,5296 2
2015 FACULDADE GUARAÍ Privada com fins lucrativos TO 5 1,5299 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS DE ITAPETININGA Privada sem fins lucrativos SP 7 1,5364 2
2015 INSTITUTO MACAPAENSE DE ENSINO SUPERIOR Privada com fins lucrativos AP 2 1,5381 2
2015 FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE GOVERNADOR VALADARES Privada sem fins lucrativos MG 1 1,5397 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA PEDRO ROGÉRIO GARCIA Privada sem fins lucrativos SC 2 1,5410 2
2015 FACULDADE FILADÉLFIA Privada com fins lucrativos SP 1 1,5461 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS APLICADAS DO CABO DE SANTO AGOSTINHO Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 1 1,5502 2
2015 FACULDADE DE ENSINO REGIONAL ALTERNATIVA Privada com fins lucrativos AL 1 1,5526 2
2015 FACULDADE APOIO Privada com fins lucrativos BA 3 1,5539 2
2015 FACULDADE BÉTHENCOURT DA SILVA Privada sem fins lucrativos RJ 2 1,5542 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DO SUL DO PIAUÍ Privada com fins lucrativos PI 1 1,5545 2
2015 FACULDADE DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – FAETERJ Pessoa Jurídica de Direito Público – Estadual RJ 1 1,5556 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DOS PALMARES Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 1 1,5669 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA E CIÊNCIAS DE PERNAMBUCO Privada sem fins lucrativos PE 1 1,5791 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS DE SÃO PAULO Privada sem fins lucrativos SP 3 1,5829 2
2015 FACULDADE SERGIPANA Privada sem fins lucrativos SE 2 1,5862 2
2015 FACULDADE VALE DO GORUTUBA Privada com fins lucrativos MG 4 1,5893 2
2015 FACULDADE SANTA CECÍLIA Privada sem fins lucrativos SP 2 1,5935 2
2015 FACULDADE DE SABARÁ Privada sem fins lucrativos MG 2 1,5972 2
2015 FACULDADE DE JUSSARA Privada com fins lucrativos GO 3 1,5984 2
2015 FANEESP – FACULDADE NACIONAL DE EDUCAÇÃO E ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ Privada com fins lucrativos PR 2 1,6025 2
2015 UNIÃO DE ENSINO SUPERIOR DE NOVA MUTUM Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal MT 2 1,6033 2
2015 FACULDADE JK – BRASÍLIA – UNIDADE PLANO PILOTO Pessoa Jurídica de Direito Privado – Com fins lucrativos – Sociedade Civil DF 2 1,6040 2
2015 SINAL – FACULDADE DE TEOLOGIA E FILOSOFIA Privada sem fins lucrativos AC 1 1,6046 2
2015 FACULDADE CERES Pessoa Jurídica de Direito Privado – Com fins lucrativos – Sociedade Civil SP 1 1,6059 2
2015 FACULDADE KURIOS Privada sem fins lucrativos CE 4 1,6066 2
2015 FACULDADE ANGLICANA DE TAPEJARA Privada sem fins lucrativos RS 2 1,6087 2
2015 Faculdade Presidente Antônio Carlos de Nova Lima Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 1 1,6137 2
2015 Faculdade Presidente Antônio Carlos de Governador Valadares Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 4 1,6154 2
2015 FACULDADE ALIANÇA Privada com fins lucrativos GO 2 1,6159 2
2015 Faculdade de Ciências da Saúde de Serra Talhada Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 1 1,6186 2
2015 FACULDADE INTEGRADA DE ENSINO SUPERIOR DE COLINAS Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal TO 4 1,6193 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA DO AMAPÁ Privada com fins lucrativos AP 1 1,6213 2
2015 FACULDADE DE EDUCAÇÃO Privada sem fins lucrativos ES 1 1,6218 2
2015 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE BARÃO DE COCAIS Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 1 1,6233 2
2015 FACULDADE ZUMBI DOS PALMARES Privada sem fins lucrativos SP 5 1,6250 2
2015 FACULDADE DO NOROESTE DE MINAS Privada com fins lucrativos MG 10 1,6257 2
2015 FACULDADE ADJETIVO CETEP Privada com fins lucrativos MG 2 1,6289 2
2015 FACULDADE METROPOLITANA DE CAIEIRAS Privada sem fins lucrativos SP 4 1,6303 2
2015 FACULDADE PRESBITERIANA AUGUSTO GALVÃO Privada sem fins lucrativos BA 1 1,6314 2
2015 FACULDADE DIOCESANA SÃO JOSÉ Privada sem fins lucrativos AC 1 1,6330 2
2015 FACULDADE ANGLICANA DE ERECHIM Privada sem fins lucrativos RS 3 1,6453 2
2015 FACULDADE DA IGREJA MINISTÉRIO FAMA Privada sem fins lucrativos GO 1 1,6473 2
2015 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE ITAMBACURI Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 1 1,6476 2
2015 FACULDADE DO ESTADO DO MARANHÃO Privada sem fins lucrativos MA 3 1,6488 2
2015 FACULDADE PHÊNIX DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS DO BRASIL Privada sem fins lucrativos GO 1 1,6490 2
2015 FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE CAMPO BELO Privada sem fins lucrativos MG 3 1,6504 2
2015 Faculdades Integradas Desembargador Sávio Brandão Privada com fins lucrativos MT 2 1,6506 2
2015 FACULDADE DO CENTRO EDUCACIONAL MINEIRO – FACEM Privada com fins lucrativos MG 2 1,6522 2
2015 FACULDADE DO SERIDÓ Privada com fins lucrativos RN 1 1,6566 2
2015 FACULDADE MONTENEGRO Privada sem fins lucrativos BA 3 1,6569 2
2015 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE ELÓI MENDES Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 1 1,6595 2
2015 FACULDADE DE MEDICINA ESTÁCIO DE JUAZEIRO DO NORTE Privada com fins lucrativos CE 1 1,6630 2
2015 FACULDADE DE EDUCAÇÃO DE BACABAL – FEBAC Privada com fins lucrativos MA 1 1,6644 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS DE ARIQUEMES Privada sem fins lucrativos RO 7 1,6698 2
2015 INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR BLAURO CARDOSO DE MATTOS Privada sem fins lucrativos ES 1 1,6753 2
2015 FACULDADE APOGEU Privada com fins lucrativos DF 1 1,6761 2
2015 FACULDADE FERNÃO DIAS Privada com fins lucrativos SP 6 1,6763 2
2015 FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE SERRA TALHADA Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 5 1,6843 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS DE ARARAQUARA Privada sem fins lucrativos SP 6 1,6872 2
2015 FACULDADE DO BELO JARDIM Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 6 1,6879 2
2015 FACULDADE CUIABÁ Privada com fins lucrativos MT 2 1,6915 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC PASSO FUNDO Privada sem fins lucrativos RS 1 1,6938 2
2015 FACULDADE DO LITORAL PARANAENSE Privada com fins lucrativos PR 2 1,6949 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ATENEU Privada com fins lucrativos ES 1 1,6949 2
2015 FACULDADE DE MONTE ALTO Privada sem fins lucrativos SP 2 1,6970 2
2015 FACULDADE DE EDUCAÇÃO CIÊNCIAS E LETRAS DE PARAÍSO Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal TO 3 1,6987 2
2015 FACULDADE DE CALDAS NOVAS Privada com fins lucrativos GO 6 1,7021 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E PARAMÉDICAS FLUMINENSE Privada sem fins lucrativos RJ 1 1,7030 2
2015 FACULDADE RAIMUNDO MARINHO Privada sem fins lucrativos AL 4 1,7053 2
2015 FACULDADE DE INHUMAS – FAC-MAIS Privada com fins lucrativos GO 3 1,7068 2
2015 Faculdade Presidente Antônio Carlos de Leopoldina Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 3 1,7100 2
2015 FACULDADE DE DIREITO DE ALTA FLORESTA Privada sem fins lucrativos MT 1 1,7101 2
2015 INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE MATO GROSSO Privada sem fins lucrativos MT 3 1,7149 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE PESQUEIRA Privada com fins lucrativos PE 2 1,7177 2
2015 FACULDADE DE DIREITO DE CACHOEIRO DO ITAPEMIRIM Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação ES 1 1,7198 2
2015 FACULDADE DE ENGENHARIA SOUZA MARQUES Privada sem fins lucrativos RJ 2 1,7205 2
2015 FACULDADE DO INSTITUTO BRASIL Privada com fins lucrativos GO 5 1,7214 2
2015 FACULDADE GUILHERME GUIMBALA Privada sem fins lucrativos SC 5 1,7218 2
2015 FACULDADE PIAUIENSE DE PROCESSAMENTO DE DADOS Privada sem fins lucrativos PI 1 1,7331 2
2015 FACULDADE RORAIMENSE DE ENSINO SUPERIOR Privada com fins lucrativos RR 2 1,7339 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA DA SERRA GAÚCHA – BENTO CONÇALVES Privada com fins lucrativos RS 2 1,7350 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS IPITANGA Privada com fins lucrativos BA 5 1,7355 2
2015 FACULDADE PRISMA Privada com fins lucrativos MG 2 1,7355 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE SALGUEIRO Privada com fins lucrativos PE 1 1,7362 2
2015 FACULDADE EVANGÉLICA DE TECNOLOGIA, CIÊNCIAS E BIOTECNOLOGIA DA CGADB Privada sem fins lucrativos RJ 1 1,7364 2
2015 FACULDADE SHALOM DE ENSINO SUPERIOR Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Associação de Utilidade Pública MG 2 1,7386 2
2015 FACULDADE JOÃO CALVINO Privada sem fins lucrativos BA 1 1,7398 2
2015 FACULDADE DE TAQUARITINGA Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação SP 6 1,7439 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA IPEP DE CAMPINAS Privada sem fins lucrativos SP 3 1,7440 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA SAINT PASTOUS Privada sem fins lucrativos RS 1 1,7479 2
2015 INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR PLANALTO Privada com fins lucrativos DF 4 1,7489 2
2015 FACULDADE PRESBITERIANA GAMMON Privada sem fins lucrativos MG 4 1,7525 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS GERENCIAIS EM VOTUPORANGA Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação SP 2 1,7538 2
2015 Faculdade de Ciências Educacionais de Capim Grosso Privada com fins lucrativos BA 2 1,7549 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS DE WENCESLAU BRAZ Privada com fins lucrativos PR 1 1,7562 2
2015 FACULDADE DE EDUCAÇÃO E ESTUDOS SOCIAIS DE GOVERNADOR VALADARES Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 2 1,7603 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NOSSA SENHORA DE LOURDES Privada com fins lucrativos BA 5 1,7647 2
2015 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS Privada com fins lucrativos TO 4 1,7715 2
2015 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE SENHORA DOS REMÉDIOS Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 1 1,7728 2
2015 FACULDADE UNILAGOS Privada sem fins lucrativos PR 4 1,7744 2
2015 FACULDADE DEL REY Privada com fins lucrativos MG 1 1,7817 2
2015 FACULDADE NATALENSE DE ENSINO E CULTURA Privada sem fins lucrativos RN 5 1,7854 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE SANTOS DUMONT Privada sem fins lucrativos MG 1 1,7914 2
2015 FACULDADE PAN AMAZÔNICA Privada sem fins lucrativos PA 7 1,7919 2
2015 FACULDADE MICHELANGELO Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação DF 7 1,7948 2
2015 Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 3 1,7957 2
2015 FACULDADE DE BELFORD ROXO Privada sem fins lucrativos RJ 2 1,7985 2
2015 FACULDADE DE ENFERMAGEM LUIZA DE MARILLAC Privada sem fins lucrativos RJ 1 1,7991 2
2015 FACULDADES UNIFICADAS DE FOZ DO IGUAÇU Privada com fins lucrativos PR 2 1,8001 2
2015 FACULDADE NACIONAL Privada com fins lucrativos ES 2 1,8008 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DE ASSIS Privada sem fins lucrativos SP 1 1,8014 2
2015 FACULDADE DE DIREITO DE GARANHUNS Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 1 1,8020 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS Privada sem fins lucrativos SP 3 1,8051 2
2015 FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DA MATA SUL Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 7 1,8057 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA PORTO DAS MONÇÕES Privada com fins lucrativos SP 3 1,8067 2
2015 INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE ALAGOAS Privada sem fins lucrativos AL 5 1,8070 2
2015 UNIÃO DE ESCOLAS SUPERIORES DA FUNESO Privada sem fins lucrativos PE 9 1,8075 2
2015 Faculdade Itaboraí Privada sem fins lucrativos RJ 2 1,8084 2
2015 FACULDADE DA CIDADE DE MACEIÓ Privada sem fins lucrativos AL 7 1,8085 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA EGÍDIO JOSÉ DA SILVA Privada com fins lucrativos MG 1 1,8091 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI TELÊMACO BORBA Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Associação de Utilidade Pública PR 1 1,8098 2
2015 FACULDADE BRASIL NORTE Privada sem fins lucrativos AP 5 1,8126 2
2015 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO VALE SÃO FRANCISCO Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 8 1,8177 2
2015 FACULDADE SANTA MARIA Privada com fins lucrativos PE 1 1,8184 2
2015 FACULDADE DO TAPAJÓS Privada sem fins lucrativos PA 2 1,8196 2
2015 FACULDADE SERRA DA MESA Privada com fins lucrativos GO 3 1,8198 2
2015 INSTITUTO EDUCACIONAL DE CASTRO Privada com fins lucrativos PR 2 1,8221 2
2015 Faculdade Cândido Rondon Privada com fins lucrativos MT 1 1,8235 2
2015 FUNDAÇÃO DE ENSINO SUPERIOR DE CLEVELÂNDIA Privada sem fins lucrativos PR 3 1,8238 2
2015 FACULDADE DE AGUDOS Privada sem fins lucrativos SP 3 1,8264 2
2015 FACULDADE SUL-AMERICANA Privada com fins lucrativos GO 6 1,8277 2
2015 FACULDADE CENECISTA DE RIO BONITO Privada sem fins lucrativos RJ 1 1,8310 2
2015 FACULDADE AUM Privada com fins lucrativos MT 4 1,8339 2
2015 FACULDADE DO NORDESTE DA BAHIA Privada com fins lucrativos BA 1 1,8340 2
2015 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DO VALE DO PARNAÍBA Privada sem fins lucrativos PI 3 1,8365 2
2015 FACULDADE SÃO SALVADOR Privada com fins lucrativos BA 6 1,8369 2
2015 FACULDADE VASCO DA GAMA Privada sem fins lucrativos BA 6 1,8394 2
2015 Faculdade Presidente Antônio Carlos de Itanhandu Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 2 1,8415 2
2015 INSTITUTO MARANHENSE DE ENSINO E CULTURA Privada sem fins lucrativos MA 3 1,8441 2
2015 FACULDADE RAÍZES Privada sem fins lucrativos GO 1 1,8450 2
2015 INSTITUTO DE CIÊNCIAS EXATAS Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação DF 2 1,8468 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA DO VALE DO IVAÍ Privada com fins lucrativos PR 1 1,8501 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS E DE TECNOLOGIA Privada sem fins lucrativos RO 4 1,8507 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DO LITORAL DO PARANÁ Privada sem fins lucrativos PR 6 1,8511 2
2015 FACULDADE DE BAURU Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação SP 3 1,8535 2
2015 FACULDADE EDUCACIONAL DE CORNÉLIO PROCÓPIO Privada com fins lucrativos PR 1 1,8546 2
2015 FACULDADE DE CAFELÂNDIA Privada com fins lucrativos PR 1 1,8564 2
2015 FACULDADE TEOLÓGICA BATISTA EQUATORIAL Privada sem fins lucrativos PA 1 1,8565 2
2015 INSTITUTO CUIABÁ DE ENSINO E CULTURA Privada sem fins lucrativos MT 8 1,8582 2
2015 FACULDADE DE HORTOLÂNDIA Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação SP 3 1,8604 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA DE PIRACICABA Privada com fins lucrativos SP 3 1,8642 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DE DIAMANTINO Privada com fins lucrativos MT 2 1,8656 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA SÃO FRANCISCO Privada com fins lucrativos SP 3 1,8656 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS DE PARAÍSO DO TOCANTINS Privada com fins lucrativos TO 1 1,8659 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO DE BARRETOS Privada com fins lucrativos SP 2 1,8675 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS – FACESM Privada sem fins lucrativos MG 3 1,8676 2
2015 FACULDADE PRUDENTE DE MORAES Pessoa Jurídica de Direito Privado – Com fins lucrativos – Sociedade Civil SP 3 1,8686 2
2015 FACULDADE MARANHENSE SÃO JOSÉ DOS COCAIS Privada com fins lucrativos MA 3 1,8690 2
2015 FACULDADE DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – FAETERJ Pessoa Jurídica de Direito Público – Estadual RJ 1 1,8714 2
2015 FACULDADE MESSIANICA Privada sem fins lucrativos SP 1 1,8718 2
2015 FACULDADE SALESIANA DE SANTA TERESA Privada sem fins lucrativos MS 2 1,8757 2
2015 FACULDADE PARAÍSO Privada com fins lucrativos RJ 9 1,8762 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS DE JACAREPAGUÁ Privada sem fins lucrativos RJ 2 1,8765 2
2015 FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR SANTA BARBARA Privada sem fins lucrativos SP 4 1,8771 2
2015 FACULDADE VIZINHANÇA VALE DO IGUAÇU Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PR 3 1,8773 2
2015 FACULDADE DO SERTÃO BAIANO Privada com fins lucrativos BA 2 1,8798 2
2015 FACULDADE DE MATO GROSSO Privada com fins lucrativos MT 2 1,8816 2
2015 INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO ELVIRA DAYRELL Privada com fins lucrativos MG 6 1,8842 2
2015 FACULDADE DE DIREITO DO VALE DO RIO DOCE Privada sem fins lucrativos MG 1 1,8895 2
2015 FACULDADE ANHANGUERA DE TECNOLOGIA DE SÃO BERNARDO Privada com fins lucrativos SP 6 1,8905 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA ALFA DE UMUARAMA Privada com fins lucrativos PR 2 1,8910 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA JARDIM Privada com fins lucrativos SP 1 1,8935 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS GERENCIAIS ALVES FORTES Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal MG 3 1,8936 2
2015 FACULDADE JK – ASA NORTE Privada com fins lucrativos DF 3 1,8957 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC RIO Privada sem fins lucrativos RJ 5 1,8966 2
2015 FACULDADE FOZ DO IGUAÇU Privada sem fins lucrativos PR 1 1,8972 2
2015 FACULDADE TEOLÓGICA BATISTA ANA WOLLERMAN Privada sem fins lucrativos MS 1 1,8977 2
2015 FACULDADE DE MÚSICA DO ESPÍRITO SANTO Pessoa Jurídica de Direito Público – Estadual ES 1 1,9006 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS GERENCIAIS BARÃO DE JUNDIAÍ Privada sem fins lucrativos SP 2 1,9078 2
2015 FACULDADE HSM Privada com fins lucrativos SP 1 1,9080 2
2015 FACULDADE DE ODONTOLOGIA DO RECIFE Privada sem fins lucrativos PE 1 1,9093 2
2015 FATEC ARTHUR AZEVEDO – MOGI MIRIM Pessoa Jurídica de Direito Público – Estadual SP 1 1,9102 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS EXATAS DE GARANHUNS Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 1 1,9107 2
2015 FACULDADE CAMPO GRANDE Privada sem fins lucrativos MS 6 1,9111 2
2015 FACULDADE JAUENSE Pessoa Jurídica de Direito Privado – Com fins lucrativos – Sociedade Civil SP 2 1,9130 2
2015 Faculdade Presidente Antônio Carlos de Itabirito Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 1 1,9147 2
2015 INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DO AMAPÁ Privada com fins lucrativos AP 3 1,9147 2
2015 FACULDADE FLEMING Privada sem fins lucrativos SP 5 1,9162 2
2015 INSTITUTO UNIFICADO DE ENSINO SUPERIOR OBJETIVO Privada sem fins lucrativos GO 9 1,9171 2
2015 FACULDADE DE EDUCAÇÃO ACRIANA EUCLIDES DA CUNHA Privada sem fins lucrativos AC 1 1,9185 2
2015 Faculdade IBGEN Privada com fins lucrativos RS 3 1,9200 2
2015 FACULDADE EVANGÉLICA DE SALVADOR Privada sem fins lucrativos BA 1 1,9200 2
2015 FACULDADE ANHANGUERA DE VALPARAÍSO Privada com fins lucrativos GO 3 1,9219 2
2015 FACULDADE ZACARIAS DE GÓES Pessoa Jurídica de Direito Privado – Com fins lucrativos – Sociedade Civil BA 5 1,9222 2
2015 FACULDADE PAULISTA DE EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO Privada com fins lucrativos SP 1 1,9224 2
2015 FACULDADE DE INFORMÁTICA LEMOS DE CASTRO Privada sem fins lucrativos RJ 1 1,9230 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS SOARES DE OLIVEIRA Privada sem fins lucrativos SP 1 1,9238 2
2015 FACULDADE BEZERRA DE ARAÚJO Privada com fins lucrativos RJ 4 1,9240 2
2015 FACULDADE SANTO AUGUSTO Privada com fins lucrativos RS 3 1,9255 2
2015 FACULDADE PARANAPANEMA Privada com fins lucrativos PR 1 1,9261 2
2015 FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO, CIÊNCIAS, EDUCAÇÃO E LETRAS Privada sem fins lucrativos PR 10 1,9274 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA Privada com fins lucrativos PR 3 1,9276 2
2015 FEFISA – FACULDADES INTEGRADAS DE SANTO ANDRÉ Privada com fins lucrativos SP 3 1,9280 2
2015 FACULDADE BATISTA DE MINAS GERAIS Privada sem fins lucrativos MG 5 1,9283 2
2015 FACULDADE DE CIENCIAS HUMANAS E SOCIAIS DE SERRA TALHADA Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 1 1,9284 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS IPEP Privada sem fins lucrativos SP 5 1,9288 2
2015 CENTRO DE ESTUDOS SUPERIORES APRENDIZ Privada com fins lucrativos MG 1 1,9293 2
2015 FACULDADE PASCHOAL DANTAS Privada sem fins lucrativos SP 3 1,9301 2
2015 FACULDADE CENECISTA DE NOVA PETRÓPOLIS Privada sem fins lucrativos RS 2 1,9308 2
2015 INSTITUTO BATISTA DE ENSINO SUPERIOR DE ALAGOAS Privada sem fins lucrativos AL 2 1,9331 2
2015 Faculdade JK Sobradinho Privada com fins lucrativos DF 3 1,9341 2
2015 FACULDADE DE SAÚDE DE PAULISTA Privada sem fins lucrativos PE 1 1,9342 2
2015 FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS DO VALE DO RIO GRANDE Privada com fins lucrativos SP 1 1,9350 2
2015 FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAI FLORIANÓPOLIS Privada sem fins lucrativos SC 3 1,9352 2
2015 FACULDADES INTEGRADAS ESPÍRITA Privada sem fins lucrativos PR 4 1,9361 2
2015 Faculdade Presidente Antônio Carlos de Itabira Pessoa Jurídica de Direito Privado – Sem fins lucrativos – Fundação MG 1 1,9365 2
2015 FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE SANTA CRUZ DO RIO PARDO Privada sem fins lucrativos SP 2 1,9388 2
2015 FACULDADE CIDADE DE PATOS DE MINAS Privada sem fins lucrativos MG 9 1,9395 2
2015 ESCOLA SUPERIOR DE MARKETING Privada sem fins lucrativos PE 2 1,9407 2
2015 CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE ARCOVERDE Pessoa Jurídica de Direito Público – Municipal PE 5 1,9440 2
2015 FACULDADE CENECISTA DE SETE LAGOAS Privada sem fins lucrativos MG 2 1,9446 2
2015 FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR KM 125 Privada com fins lucrativos PR 1 1,9448 2