sábado, 29 de outubro de 2016

DISCURSO DE ANA JÚLIA RIBEIRO VIRA NOTÍCIA INTERNACIONAL

Discurso tocante da estudante Ana Júlia Ribeiro, 16 anos, ganhou destaque até na revista internacional Forbes. "Nas últimas 24 horas, o Brasil foi apresentado ao que muitos brasileiros acreditam que é a mais promissora voz ouvida em muitos anos", diz a reportagem



Daniel Buarque, Brasilianismo

O discurso da estudante secundarista Ana Júlia Ribeiro, de 16 anos, a deputados estaduais na Assembleia Legislativa do Paraná se tornou notícia internacional. E notícia boa, segundo a revista de economia “Forbes”.

“Nas últimas 24 horas, o Brasil foi apresentado ao que muitos brasileiros acreditam que é a mais promissora voz ouvida em muitos anos”, diz reportagem publicada no site da revista.

Em texto que apresenta a movimentação de estudantes secundaristas em centenas de escolas do Paraná, a revista diz que o discurso surpreendeu o país.

“Ela proclama, ‘nossa bandeira é a educação, nossa única bandeira é a educação’, e defende que o controverso programa ‘escolas sem partido, que proíbe discurso político partidário na sala de aula, insulta os estudantes ao dizer a eles que eles não têm capacidade de pensar”, diz a reportagem.

A publicação narra a reação agressiva dos parlamentares paranaenses e defende a coragem da jovem estudante.

“É um jogo de força que faria muitos se encolherem, e é neste momento que a estrela de Ana Júlia brilha. a adolescente não tenta gritar mais alto do que o presidente da sessão. Ela não o desrespeita nem discute. Ao contrário, ela se mantém calma e lança a crítica mais forte. ‘Eu peço desculpa, mas o ECA nos diz que a responsabilidade pelos nossos adolescentes, dos nossos estudantes, é da sociedade, da família e do Estado‘”.

Ao contextualizar a situação da educação no Brasil e no Paraná, a revista também lembra que um ano antes a polícia do Estado agiu com violência contra professores que realizavam protestos.

“Cenas de professores sendo espancados pela polícia criou ondas de choque pelo país e formou a base para o discurso de Ana Júlia”, explica.

Na época da repressão violenta contra professores, vários veículos de comunicação internacional noticiaram o caso, criticando a polícia e chamando a ação de truculenta e se referindo ao episódio como ”batalha campal”.

Nenhum comentário: