domingo, 21 de agosto de 2016

Vereador em Cuiabá aumenta o patrimônio em 3.970% em 4 anos

MILAGRE DA MULTIPLICAÇÃO

Patrimônio do vereador Leonardo Oliveira (PSB) subiu de R$ 25,3 mil para R$ 1,028 milhão




Candidato a vice-prefeito de Cuiabá na chapa encabeçada pelo deputado estadual Wilson Santos (PSDB), o vereador Leonardo de Oliveira (PSB) aumentou em 3.970% seu patrimônio nos últimos quatro anos. O índice equivale a um acréscimo de 992,5% a cada ano que atuou no Legislativo.

Eleito vereador de primeiro mandato nas eleições de 2012, declarou a Justiça Eleitoral ter R$ 25,300 mil em bens. Quatro anos depois, seu patrimônio saltou para R$ 1,028 milhão. 

De acordo com o sistema divulgacand do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), em 2012, Leonardo de Oliveira declarou ter patrimônio avaliado em R$ 25,300 mil, o que se limitava a um terreno no município de Chapada dos Guimarães cotado em R$ 2,5 mil, depósitos em contas bancárias no valor de R$ 12,8 mil e 33,34% de quotas de capital social da empresa MT Curso Jurídico LTDA orçado em R$ 10 mil. Quatro anos depois, seu patrimônio declarado à Justiça Eleitoral corresponde a R$ 1,028.895 milhão.

O bem mais valioso é uma casa situada no Condomínio Florais, um dos mais luxuosos de Cuiabá, avaliada em R$ 800 mil, e R$ 120 mil de dinheiro em espécie. Há ainda R$ 95,5 mil que corresponde a soma de três veículos que são dois Fiat Uno Mille e um Fiat Punto. 

Também está incluída a participação de 33,34% de quotas de capital social da empresa MT Curso Jurídico LTDA orçado em R$ 10 mil, saldo de R$ 89,99 em conta corrente no Banco Santander e R$ 5,36 referente a saldo de cartão pré-pago. Sobrinho do ex-governador Dante de Oliveira (já falecido), Leonardo de Oliveira foi líder do governo do prefeito Mauro Mendes (PSB) . Antes de ser eleito vereador em 2012, fracassou em três disputas para conquistar uma vaga na Câmara Municipal.

Com a divulgação da relação completa de bens dos candidatos à Câmara Municipal de Cuiabá pela Justiça Eleitoral, foi identificado avanço patrimonial significativo de outros dois parlamentares. Eleito para o primeiro mandato em 2012, o vereador Adilson da Levante (PSB), informou não ter nenhum patrimônio.

Quatro anos depois, como candidato à reeleição, declarou a Justiça Eleitoral ter R$ 499 mil em bens. Consta uma quantia de R$ 225 mil referente a um crédito decorrente de alienação e R$ 60 mil somente de automóveis que corresponde a uma Saveiro 2004 e dois caminhões.

Há ainda quatro terrenos no bairro São João Del Rey que correspondem ao total de R$ 8 mil e 50% de um terreno na Avenida das Torres próximo ao Rio Coxipó orçado em R$ 60 mil. O vereador Onofre Júnior (PSB) também não tinha nenhum bem declarado em 2012.

Após concluir seu primeiro mandato na Câmara Municipal de Cuiabá, aparece como proprietário de um apartamento no Edifício Jardim América, localizado na Avenida Tancredo Neves no valor de R$ 697 mil. Entretanto, um dos casos mais emblemáticos é do vereador e candidato à reeleição Marcrean dos Santos (PRTB).

Em 2012, seu patrimônio declarado correspondia a R$ 295 mil. Dois anos depois, quando concorreu a deputado estadual, foi declarado à Justiça Eleitoral R$ 780.813 mil, o que correspondeu a um acréscimo de R$ 485.813 mil ou 164,68% em dois anos.

Em 2016, seu patrimônio declarado é de R$ 309.689 mil. Ou seja, uma queda de R$ 471,124 mil comparado a 2014.

O vereador Dilemário Alencar (PROS) registrou aumento de aproximadamente 478% em seu patrimônio. Em 2012, declarou a Justiça Eleitoral ter R$ 131.044,96 mil.

Quatro anos depois, aparece com bens avaliados em R$ 756.976,35 mil. Eleito em 2012 para o primeiro mandato, o vereador Oséas Machado (PSC) aumentou seu patrimônio aproximadamente 50% em quatro anos. Saltou de R$ 396.843 mil em 2012 para R$ 593.489 mil em 2016.

Os únicos vereadores que apresentaram queda de patrimônio são Wilson Nonato da Silva, o Wilson Kero Kero (PSL), que tinha como único patrimônio em 2012 um veículo Gol avaliado em R$ 9 mil e agora aparece sem nenhum patrimônio. O vereador Chico 2000 (PR), que também concorre à reeleição, detinha patrimônio de R$ 665 mil em 2012 e caiu para R$ 227.470 mil em 2016.

Dos atuais 25 vereadores da Câmara Municipal de Cuiabá, somente três não concorrem a nenhum cargo eletivo neste ano. Tratam-se de Domingos Sávio (PSD), Haroldo Kuzai (SD) e Faissal Calil (PSB).

O candidato mais rico a Câmara Municipal de Cuiabá é o vereador Maurélio Ribeiro (PSDB), com patrimônio de R$ 3,175 milhões. O valor corresponde a um aumento de 136% comparado a 2012.
RAFAEL COSTA

Nenhum comentário: