segunda-feira, 22 de maio de 2017

A CONVERSA ENTRE AÉCIO NEVES E GILMAR MENDES INTERCEPTADA PELA POLÍCIA FEDERAL

Polícia Federal interceptou conversas entre Aécio Neves (PSDB) e Gilmar Mendes, ministro do STF. O conteúdo é corrosivo e revela a já sabida relação promíscua de um membro da mais alta corte do Brasil com um senador da República que pretendia barrar investigações contra si próprio

Aécio Neves e Gilmar Mendes.


Gravações autorizadas pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no âmbito da Operação Patmos, deflagrada na quinta-feira 18 contra o presidente Michel Temer (PMDB) e o senador Aécio Neves (PSDB-MG), colocam o ministro Gilmar Mendes, do próprio STF, em uma situação delicada.

Gilmar foi gravado em uma conversa ao celular com Aécio na qual prometia a ele ajudar a aprovar o projeto de lei do abuso de autoridade. Esse projeto, de acordo com a Procuradoria-Geral da República, era um dos estratagemas usados pelo senador tucano para barrar as investigações da Operação Lava Jato. Joesley Batista, dono da JBS e delator cujo depoimento é a base da Patmos, afirmou que tratou com Aécio a respeito deste projeto no bojo das negociações entre os dois para barrar da Lava Jato.

Entre os crimes imputados a Aécio está o de obstrução de Justiça. O PGR, Rodrigo Janot, chegou a pedir a prisão do tucano, mas o ministro Luiz Edson Fachin, do STF, não autorizou, determinando o afastamento de Aécio de seu cargo.

A conversa entre Gilmar e Aécio se deu em 26 de abril. O celular grampeado era do senador tucano que, segundo o relatório da Polícia Federal, “pediu ao ministro para que telefonasse para o senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA)”. No diálogo, diz a PF, “o senador investigado pede que o magistrado converse com Flexa Ribeiro para que este siga a orientação de voto proposta por Aécio”.

Em resposta ao pedido de Aécio, Gilmar Mendes respondeu: “O Flexa, tá bom, eu falo com ele”. Aécio explica na sequência que Flexa “é o outro titular da comissão, somos três, sabe?”

Aécio pede que Gilmar Mendes fale com Flexa Ribeiro sobre “a importância disso” e orienta o que Gilmar deveria dizer ao senador. O ministro deveria afirmar a Flexa para “acompanhar a posição do Aécio porque eu acho que é mais serena”. Gilmar respondeu: “Eu falo com ele… eu ligo pra ele… eu ligo para ele agora”, disse.

No mesmo dia da conversa entre Gilmar e Aécio, foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado o projeto de abuso de autoridade. Tratou-se de um texto considerado um meio termo entre as propostas apresentadas pelos senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), fruto de um conjunto de sugestões de procuradores, e Renan Calheiros (PMDB-AL), entendido como muito rígido contra as autoridades.

O texto, um substitutivo do senador Roberto Requião (PMDB-PR), só foi aprovado após a retirada de um dos trechos mais criticados por integrantes do Ministério Público e do Judiciário. Diante do ataque de juízes, procuradores e senadores de diversas siglas, Requião recuou de sua proposta original e aceitou alterar o artigo que poderia abrir caminho para a punição de magistrados devido a divergências na interpretação das leis.

A chamada começou às 9h29 e durou um minuto e 36 segundos. Leia a transcrição completa feita pela Polícia Federal:

Aécio Neves: Oi, Gilmar. Alô.

Gilmar Mendes: Oi, tudo bem?

Aécio: Você sabe um telefone que você poderia dar que me ajudaria na condução lá. Não sei como é sua relação com ele, mas ponderando… Enfim, ao final dizendo que me acompanhe lá, que era importante… Era o Flexa, viu? [Aécio se referia ao senador Flexa Ribeiro]

Gilmar: O Flexa, tá bom, eu falo com ele.

Aécio: Porque ele é o outro titular da comissão, somos três, sabe?… Né…

Gilmar: Tá bom, tá bom. Eu vou falar com ele. Eu falei… Eu falei com o Anastasia e falei com o Tasso… Tasso não é da comissão, mas o Anastasia… O Anastasia disse “Ah, tô tentando… [incompreensível]…” e…

Aécio: Dá uma palavrinha com o Flexa… A importância disso e no final dá sinal para ele porque ele não é muito assim… De entender a profundidade da coisa… Fala ó… Acompanha a posição do Aécio porque eu acho que é mais serena. Porque o que a gente pode fazer no limite? Apresenta um destaque para dar uma satisfação para a bancada e vota o texto… Que vota antes, entendeu?

Gilmar: Unhum.

Aécio: Destaque é destaque é destaque… Depois não vai ter voto, entendeu?

Gilmar: Unhum. Unhum.

Aécio: Pelo menos vota o texto e dá uma…

Gilmar: Unhum.

Aécio: Uma satisfação para a ban… Para não parecer que a bancada foi toda ela contrariada, entendeu?

Gilmar: Unhum.

Aécio: Se pudesse ligar para o Flexa aí e fala…

Gilmar: Eu falo pra com ele… E falo com ele… Eu ligo pra ele… Eu ligo pra ele agora.

Aécio: …[incompreensível]… importante

Gilmar: Ligo pra ele agora.

Aécio: Um abraço.

Logo em seguida, às 9h31, Aécio liga para o senador Flexa Ribeiro e mantém a seguinte conversa, que durou 45 segundos:

AécioNeves: Um amigo nosso em comum que você vai ver quem é… Está tentando te ligar… Aí você atende ele, tá? Um cara importante aí que você vai ver que é.

Flexa Ribeiro: Tá bom.

Aécio Neves: …[incompreensível]… no seu gabinete para fazer umas ponderações, aí você encontra comigo, tá bom?

Flexa Ribeiro: Tá ok então, um abraço.

Aécio Neves: …[incompreensível]… na CCJ.

Flexa Ribeiro: Então tá.

A proposta foi aprovada por 54 votos a 19, sendo que Aécio e Flexa Ribeiro (PSDB/PA), ambos membros titulares do PSDB da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, votaram a favor do texto.

Antonio Anastasia (PSDB/MG) é o terceiro tucano titular da Comissão. O texto tinha sido aprovado na CCJ dois dias antes.

Antonio Anastasia (PSDB/MG) é o terceiro tucano titular da Comissão. O texto tinha sido aprovado na CCJ dois dias antes.
informações de CartaCapital e Agência Estado

Nenhum comentário: