sexta-feira, 11 de maio de 2018

YOU TUBER DENUNCIA O QUE PODE SER O MAIOR ESCÂNDALO DE PEDOFILIA E ABUSO SEXUAL DA HISTÓRIA


Confira vídeos



Em vídeo publicado no YouTube no dia 17 de fevereiro com o título 'Minha história de abuso sexual', Giulio Ferrari afirma ter sido vítima de uma série de abusos sexuais durante sua adolescência.

Com detalhes, ele narra suas experiências e afirma que o poderoso médium Maury Rodrigues da Cruz, presidente da renomada Sociedade Brasileira de Estudos Espíritas (SBEE) teria sido o perpetrador dos atos, aproveitando-se de sua posição de autoridade e dirigente de uma respeitada entidade.

Segundo Ferrari, durante os cultos, Maury fazia uso de manipulações psicológicas para ganhar a confiança das vítimas e submetê-las às suas vontades. Ele afirmava inclusive sua suposta importância e ligações com pessoas poderosas para tornar as vítimas impotentes e acuadas.

Os abusos teriam se estendido até que Ferrari, ao conversar com uma coordenadora dos cultos, descobriu que poderia praticar sua fé sem ter os médiuns como intermediários. A partir deste momento ele passou a refletir e teve a exata percepção de que era vítima de abusos, ocasião em que abandonou os cultos.

Atualmente, residindo nos Estados Unidos, onde vive bem e tem uma vida totalmente resolvida e tranquila, ele decidiu denunciar. Tão logo fez a denúncia, outras vítimas criaram coragem e apareceram.

Veja baixo o vídeo onde Ferrari expõe com clareza a história. Na sequência vídeos com depoimentos de outras duas vítimas. Todavia, mais de 15 pessoas já se manifestaram contra os abusos do médium.
Após a denúncia de Giulio Ferrari, novas vítimas começaram a criar coragem.

Confira o depoimento de Luis:

Fábio, também denuncia o médium:
Novas denúncias podem ser feitas através do Facebook nesta página: AQUI

Maury Rodrigues da Cruz, o poderoso médium, efetivou a sua defesa. Uma defesa em que proclama 'moral', mas não ataca as acusações. Confira o vídeo:
https://static.jornaldacidadeonline.com.br/images/desktop/logo.svg

Nenhum comentário: