quarta-feira, 14 de junho de 2017

MUNICÍPIO DE COLOMBO GANHA NOVO SERVIÇO DE EMODIÁLISE



O secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, visitou nesta segunda-feira (12) a Clínica de Doenças Renais (CDR) de Colombo, que a partir de agora passa a atender também pela rede pública de saúde. A inclusão da estrutura no SUS vai reduzir a necessidade de transferência de pacientes que hoje precisam fazer sessões de hemodiálise em hospitais e clínicas de Campina Grande do Sul e Curitiba. O Estado vai investir quase R$ 1 milhão por ano no custeio das atividades.

Inicialmente, 36 pacientes serão atendidos na Clínica de Doenças Renais pelo SUS. “Trata-se de mais uma ação efetiva do Governo do Estado para levar atendimento especializado para mais perto das pessoas. Encurtando distâncias e oferecendo o que há de melhor em saúde, podemos melhorar a qualidade de vida da população”, destacou o secretário.

Com 24 poltronas de hemodiálise, a clínica tem capacidade para atender todos os cerca de 100 pacientes que hoje necessitam de tratamento contra doença renal no município. A expectativa é que, com o credenciamento do serviço junto ao Ministério da Saúde, toda a demanda de Colombo possa ser absorvida pela unidade.

Para o presidente da Associação Parceiros do Rim, Nilton Luiz Carneiro de Melo, a iniciativa vai facilitar a vida dos pacientes, que atualmente precisam acordar três horas da manhã, três vezes por semana, para pegar o transporte e fazer hemodiálise no Hospital Angelina Caron, em Campina Grande do Sul. 

“Com certeza, isso alivia muito o sofrimento das pessoas que têm a hemodiálise como uma rotina para o resto da vida. Eu mesmo tinha que passar por isso e agora poderei ser atendido mais perto de casa. Só temos a agradecer ao Governo do Estado”, disse o presidente, que faz tratamento com hemodiálise há 14 anos.

Também participaram da visita a prefeita de Colombo, Beti Pavin; o diretor-presidente da Coordenação da Região Metropolitana de Curitiba (Comec), Omar Akel; o diretor da 2ª Regional de Saúde Metropolitana, Guilherme Graziani; e o superintendente de Gestão de Sistemas de Saúde, Paulo Almeida.

GAZETA SANTA CÂNDIDA, JORNAL QUE TEM O QUE FALAR

Nenhum comentário: