sexta-feira, 10 de março de 2017

FASE FINAL DA LIGA MUNDIAL DE VOLEIBOL TRARÁ A CURITIBA SEIS SELEÇÕES MUNDIAIS

A fase final da Liga Mundial de Voleibol trará a Curitiba, entre os dias 4 e 8 de julho, as cinco seleções melhores colocadas na etapa de classificação e a do Brasil, anfitrião. 

A seleção brasileira é a maior vencedora da Liga Mundial, com nove títulos, sendo o último conquistado em 2010. De lá para cá, foram quatro vice-campeonatos. 

A competição, que acontecerá no estádio do Clube Atlético Paranaense, tem o apoio do Governo do Paraná e é organizada pela Federação Internacional de Voleibol (FIVB) e pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV). O evento tem, também, o apoio da prefeitura de Curitiba. 

Em coletiva à imprensa realizada na quinta-feira (9), o secretário estadual do Esporte e do Turismo, Douglas Fabrício, destacou o apoio do Governo do Paraná e ressaltou a vocação do Estado na prática do vôlei. "No diagnóstico que realizamos em 2016, levantamos que 281 municípios, dos 399, disseram desenvolver o vôlei de quadra como uma de suas principais modalidades esportivas.

 É o terceiro esporte mais citado, só perdendo para o futebol e o futsal”, disse Fabrício. “Inclusive, temos duas equipes na Super Liga Masculina de Vôlei, ambas patrocinadas pela Copel, o time de Maringá e o Caramuru, de Castro", lembrou. 

Ele também citou o Talento Olímpico do Paraná, o maior programa estadual de incentivo a atletas do país, que concede anualmente 1.600 bolsas, como uma alavanca na carreira de futuras gerações de esportistas. De 2011, ano de sua criação, a 2016, foram 576 bolsas pagas somente para atletas e técnicos do vôlei. Estrelas de renome mundial, como Emanuel (três medalhas em Jogos Olímpicos) e Ágatha (prata na Rio 2016 no vôlei de praia) já receberam bolsas do programa. 

CAMPEÃO 

No encontro com a imprensa, o campeão olímpico Gilberto Godoy Filho, o Giba, presidente da Comissão Internacional de Atletas, que representou a Federação Internacional de Voleibol, ressaltou a importância deste evento mundial. "Vou sofrer bastante, pois queria estar dentro de quadra, ainda mais quando a competição é na cidade em que iniciei minha carreira", comentou o londrinense, que se mudou para Curitiba ainda criança. Ele também falou de sua expectativa em relação ao público paranaense, que deverá lotar o estádio durante os jogos. 

"O vôlei é um esporte que envolve as famílias. A competição será no estádio do Atlético, mas temos certeza que os torcedores de todos os clubes, e pessoas vindas de todo o estado, vão se unir aqui para fazer desse evento um grande sucesso", disse ele. 

A questão também foi enfatizada pelo presidente do Atlético, Luiz Emed. "Esse estádio é de todos os paranaenses. Inclusive, este é o objetivo do seu aspecto de arena multieventos. Curitiba e o Atlético vão se sentir honrados, já que é um torneio que vai ultrapassar as barreiras do nosso país e será assistido em todo o mundo", comentou Luiz Emed. 

Para o secretário municipal do Esporte, Lazer e Juventude, Marcello Richa, a realização em Curitiba de competições como a Fase Final da Liga Mundial de Vôlei em 2017, a Copa do Mundo de Futebol (2014) e o UFC ( 2016) consolidam a cidade como um polo esportivo e turístico. 

PREPARAÇÃO 

 Será a segunda experiência do vôlei no campo do Atlético. Em setembro de 2016, a CBV realizou o Desafio de Ouro em comemoração à conquista da medalha nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro. Na ocasião, 33 mil pessoas estiveram presentes acompanhando o amistoso entre Brasil e Portugal. Para a fase final da Liga Mundial, a previsão é que 30.027 lugares sejam disponibilizados por partida. A montagem da quadra e preparação do estádio para a fase final deverá ser iniciada no dia 24 de junho.

Nenhum comentário: