quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

MENINO DE 5 ANOS MORRE APÓS SER CASTIGADO POR URINAR NA CAMA

França: Menino de 5 anos foi obrigado a sair de casa e correr sem roupas, em madrugada de inverno, como punição por ter feito xixi na cama. O garoto caiu e foi espancado diversas vezes durante o percurso

Yanis foi castigado até a morte por fazer xixi na cama. Seu corpo foi encontrado a 200 metros da casa onde morava. Mãe e padrasto foram presos. Pai está desolado


Redação

Um menino de apenas cinco anos morreu em Aire-sur-la-Lys, comunidade localizada no norte da França, na madrugada de domingo para segunda-feira (6).

Yanis foi colocado para fora de casa vestindo apenas uma cueca e meias como punição por ter feito xixi na cama. As informações são do Daily Mail e do The Times.

O padrasto da criança, Julien, 30 anos, admitiu o crime e foi preso. Em depoimento, ele disse que obrigou o garoto a correr por alguns quilômetros sem roupa em plena madrugada de inverno.

A mãe do menino, Emilie, de 22 anos, também está detida. De acordo com exames, foram encontradas marcas de agressões recentes no corpo do garoto.

Yanis foi encontrado próximo de um canal a cerca de 200 metros de onde morava. As autoridades informaram que foram alertados por volta das 2h45 da madrugada e que quando chegaram ao local a criança já estava morta.

As temperaturas mínimas em Aire-sur-la-Lys rondavam os cinco graus durante a madrugada desta segunda-feira, segundo o sistema de meteorologia da França.
Lesões na cabeça

Ainda de acordo com informações da polícia local, o garoto teria caído diversas vezes durante a crueldade a que estava sendo submetido.

A autópsia constatou diversos hematomas na cabeça de Yanis e que houve traumatismo craniano. As lesões, diz o exame, foram provocadas por “violências voluntárias” e não podem ser explicadas pelas quedas que o menino sofreu.

Pena

Julien, o padrasto, deverá ser julgado pelos crimes de homicídio doloso (quando há intenção de matar) e violência contra criança. Ele pode ser condenado à prisão perpétua.

Emilie, mãe de Yanis, é acusada de “abstenção voluntária de impedir um crime ou delito” e pode pegar cinco anos de cadeia.

Segundo a polícia, tanto Julien como Emilie não demonstraram arrependimento pelo que fizeram e pareciam não ter noção da gravidade do caso.

O pai de Yanis criou uma página no Facebook para arrecadar fundos para o funeral e preservar sua memória.

“Yanis, nossa estrela, partiu muito cedo, no dia 6 de fevereiro de 2017, do alto de seus cinco pequenos invernos. Paz à tua alma, meu príncipe”, desabafa.

Nenhum comentário: