terça-feira, 24 de janeiro de 2017

MICHEL TEMER CONVIDA GILMAR MENDES PARA JANTAR EXTRAOFICIAL

Michel Temer recebe Gilmar Mendes em jantar no Palácio do Jaburu. Encontro não estava na agenda oficial da Presidência. Ainda neste mês, ambos viajaram juntos em 'tour' pela Europa

Temer e Padilha, chefes do governo, e Gilmar Mendes, presidente do TSE


Na noite deste domingo (22), o presidente Michel Temer recebeu o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, no Palácio do Jaburu.

O encontro não estava na agenda oficial da Presidência e, segundo a assessoria do ministro, houve uma “conversa de rotina”.

Gilmar é responsável por definir a pauta de julgamento do TSE e será um dos sete integrantes da Corte Eleitoral que votará neste ano no processo que pode levar à cassação da chapa de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB).

Gilmar Mendes defende que o futuro relator da Lava Jato seja o ministro que será nomeado pelo presidente Michel Temer num prazo de 30 dias como substituto do ministro Teori Zavascki, morto em acidente aéreo na última quinta-feira (19). A informação é da coluna de Lauro Jardim de sábado (21).
Viagem com o réu

Ainda neste mês, causou espanto a viagem que Gilmar Mendes, Michel Temer e Eliseu Padilha fizeram no mesmo avião para a Europa.

Na ocasião, Temer foi fazer um ‘tour’ pelo Velho Continente e incluiu em sua comitiva presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, o ex-presidente José Sarney e o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, entre outros.

Gilmar Mendes não se sentiu nem um pouco constrangido por embarcar no passeio de Temer, acusado de ter pedido propina de R$ 10 milhões a Marcelo Odebrecht em 2014 dentro do Palácio do Jaburu, residência oficial do vice.

Também não se incomodou por dividir o avião presidencial com Eliseu Padilha, acusado de receber R$ 4 milhões em propina a mando da Odebrecht.

Padilha também é réu em uma ação civil de improbidade administrativa na qual é acusado de ordenar o pagamento superfaturado de R$ 2 milhões ao extinto DNER (Departamento Nacional de Estradas e Rodagem), hoje Dnit, quando foi ministro dos Transportes do governo Fernando Henrique Cardoso (1997-2001).
TSE

No âmbito do TSE, Gilmar Mendes é o responsável por pautar no plenário do Tribunal o julgamento da ação que pede a cassação da chapa Dilma-Temer por, segundo o processo, irregularidades em doações para a campanha presidencial de 2014.

O relator da ação no TSE, de autoria do PSDB é o ministro Herman Benjamin, que prevê o julgamento no segundo semestre deste ano.

Em caso de cassação da chapa, a Constituição Federal manda realizar eleição indireta para o cargo de Presidente da República.

Nenhum comentário: