sexta-feira, 25 de novembro de 2016

JANAINA PASCHOAL ESTÁ 'DECEPCIONADA' COM MICHEL TEMER

Advogada autora do parecer responsável pelo impeachment de Dilma e, consequentemente, por alçar Michel Temer ao poder agora se diz 'decepcionada' com o atual presidente. Janaina Paschoal cobra 'providência' do ex-interino

Janaina Paschoal diz que Temer segue o caminho de Dilma, ex-presidente que a própria advogada ajudou a derrubar


A autora do impeachment Janaina Paschoal afirmou na última terça-feira, 22, que ‘para conduzir o Brasil, um verdeiro líder precisa ter a sensibilidade de notar que o País mudou’.

A advogada criticou a condução da denúncia do ex-ministro da Cultura Marcelo Calero sobre a pressão de Geddel Vieira Lima, homem forte do presidente Michel Temer (PMDB), para liberar a construção de um prédio em que o baiano tem uma unidade.

Janaina Paschoal foi contratada pelo PSDB para elaborar um parecer favorável ao impedimento de Dilma Rousseff.

Temer é Dilma?

“Sei que o presidente Michel Temer já manifestou que não pretende afastar pessoas com base, apenas, em alegações. Dilma também dizia isso”, escreveu Janaina no Twitter.

“Não adianta o governante se apegar ao princípio da presunção da inocência. Esse princípio vale para o processo penal, não para gestão pública”, prosseguiu.

Janaina Paschoal citou novamente a ex-presidente Dilma Rousseff. “Os sinais indicam que o presidente pretende trilhar o caminho de sua antecessora, passando a mão na cabeça de quem precisa ser afastado.”

Na mensagem seguinte, a advogada escreveu. “O primeiro crime de responsabilidade atribuído à Dilma foi de não afastar os envolvidos no escândalo do Petrolão, nunca vou cansar de lembrar.”

Resistência

Apesar da denúncia, o presidente Michel Temer resiste em afastar Geddel Vieira Lima.

O líder do governo na Câmara, deputado André Moura (PSC-SE), assim como o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ) também têm minimizado o caso e apoiado a permanência de Geddel.
Geddel

Articulador político de Temer, Geddel é alvo de processo na Comissão de Ética da Presidência da República acusado de pressionar o ex-ministro da Cultura Marcelo Calero de pressão para obter favores pessoais.

De acordo com Calero, o peemedebista o pressionou para que o o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), órgão do MinC, produzisse um parecer favorável a um empreendimento na zona nobre de Salvador, onde Geddel é donod e apertamento.

Calero disse que o caso motivou sua decisão de pedir demissão na última sexta-feira (18).

O Ministério Público Federal defende suspensão das obras de luxo do prédio.

Os apartamentos de alto padrão, com quatro suítes e área de 295 metros quadrados, custam entre R$ 2,6 milhões e R$ 4,5 milhões.

Nenhum comentário: