sábado, 29 de outubro de 2016

BRASIL JÁ TEM 1.100 ESCOLAS CONTRA A REFORMA DE TEMER E A PEC 241

Além de 1.108 escolas secundaristas, 82 universidades também estão ocupadas em todo o Brasil. Estudantes protestam contra a PEC 241. Movimento de greve geral (professores, técnicos e estudantes) cresce em várias instituições de ensino

Mais de 1.100 escolas e 82 universidades estão ocupadas em todo o Brasil. Estudantes protestam contra PEC 241 e ‘reforma do ensino médio’


A Ubes (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas) divulgou um novo balanço das escolas ocupadas no Brasil. São 1.108 ocupações em escolas secundaristas. A União Nacional dos Estudantes (UNE), por sua vez, informou que 82 universidades brasileiras estão ocupadas.

Os estudantes protestam contra a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição PEC 241, que prevê um teto para gastos públicos em áreas como saúde e educação para os próximos 20 anos ao limite da inflação do ano anterior.

A PEC 241 foi recentemente aprovada em segundo turno pelo plenário da Câmara dos Deputados. A proposta segue para o Senado Federal, onde também será discutida e votada em dois turnos, e retorna para o gabinete presidencial, de onde saiu, para sanção.

Movimentos sociais alegam que a proposta vai atingir investimentos em áreas essenciais. Os estudantes também são contra a reforma do ensino médio, proposta por Michel Temer através da Medida Provisória (MP) 746/2016, enviada ao Congresso.

“Existe um movimento de greve geral (professores, técnicos e estudantes) já em várias universidades, greve estudantil e ocupação de reitorias que só cresce. Os estudantes são terminantemente contra o congelamento de investimentos que vão sucatear ainda mais as universidades e vamos paralisar o Brasil para defender a educação pública”, afirmou em nota o diretor de Comunicação da União Nacional dos Estudantes (UNE), Mateus Weber.

A Ubes divulgou uma nota com seis “porquês” da movimentação contra a PEC, entre os quais estão ataques aos setores mais carentes da população, desmonte da educação pública e precarização dos serviços públicos.

“Estudiosos apontam para a inconstitucionalidade da PEC 241. A procuradora federal dos Direitos do Cidadão, Deborah Duprat, sinaliza que o texto da proposta coloca em risco direitos constitucionais da população brasileira, como o acesso à saúde e à educação. Representante do Conselho Nacional de Saúde (CNS), Juliana Acosta Santor, afirma que a saúde segue sendo compreendida como um nicho de mercado e não como um direito do cidadão, o que causa o abandono do setor às mãos do empresariado”, afirma a Ubes.
Ranking de ocupações

O Estado do Paraná concentra o maior número de ocupações: mais de 800. Minas Gerais aparece em segundo lugar, com 48 ocupações; Rio Grande do Sul, com 13; Goiás e Rio Grande do Norte, com nove cada.

Atualização: Às 14:20 desta sexta-feira (28), Ubes informa que ocupações já atingem 1.177 escolas secundaristas. Universidades ocupadas são 123, de acordo com a UNE.

Nenhum comentário: