terça-feira, 25 de outubro de 2016

ADOLESCENTE MORRE DENTRO DE COLÉGIO OCUPADO EM CURITIBA

Um adolescente de 16 anos foi encontrado morto dentro do Colégio Estadual Santa Felicidade, em Curitiba, na tarde desta segunda-feira (24). 

A Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (Sesp) confirmou o ocorrido. Segundo a pasta, o jovem era aluno da instituição, que está na lista de 835 escolas ocupadas no Estado, na chamada Primavera Secundarista. O caso foi registrado por volta das 16 horas. 

O Corpo de Bombeiros divulgou que os ferimentos foram causados por arma branca, provavelmente uma faca. 


                               Divulgação/Sesp

A Sesp informou, por meio de sua assessoria de imprensa, porém, que a motivação do óbito ainda não era conhecida. A Secretaria garantiu que a situação é tratada como prioridade tanto pela Polícia Civil como pela Polícia Científica. Equipes das duas corporações estariam no local para colher os primeiros dados e apurar o que de fato aconteceu. 


                     Mariana Franco Ramos - Grupo Folha

Em sua conta na rede social Facebook, o governador Beto Richa chamou a morte do jovem de "tragédia chocante, que merece uma profunda reflexão de toda a sociedade". "É ainda mais gravíssimo e lamentável, porque aconteceu no interior de uma escola ocupada, que deveria estar cumprindo a sua missão de irradiar a luz do conhecimento e a formação da cidadania", escreveu. 

"Externo à família desse estudante a minha solidariedade neste momento tão doloroso. E renovo o meu apelo para que os pais redobrem o cuidado com seus filhos. Peço ainda, mais uma vez, que os estudantes encerrem esse movimento", prosseguiu. 

Para o tucano, a ocupação de escolas no Paraná ultrapassou "os limites do bom senso e não encontra amparo na razão, pois o diálogo sobre a reforma do ensino médio está aberto, como bem sabem todos os envolvidos nessa questão. Que não se aleguem quaisquer justificativas para a continuidade desse movimento que vem causando prejuízos à educação do Paraná". 

A Procuradoria-Geral do Estado também emitiu nota sobre a morte do aluno na tarde desta segunda: "A PGE nada tem a declarar sobre o fato em si, que será investigado pela Polícia Civil. Entretanto, sejam quais forem as circunstâncias, o lastimável acontecimento reforça a tese defendida pelo Governo do Estado de que as invasões às escolas colocam em risco a integridade física e psicológica dos menores que participam do movimento, razão pela qual a Procuradoria tem buscado, por todas as formas, realizar as desocupações amparando-se em ordens judiciais", diz o comunicado do procurador-geral do Paraná, Paulo Sergio Rosso. 

MP 

O Ministério Público do Paraná esclarece que, desde as primeiras informações sobre a morte do adolescente, dois promotores de Justiça foram designados pela Procuradoria-Geral de Justiça para acompanhar o caso. Felipe Lamarão de Paula Soares e Emiliano Antunes Motta Waltrick foram até a instituição de ensino para acompanhar as investigações com o intuito de garantir rigor e transparência à apuração do caso. 

Em nota, o MP ressaltou que órgão "vem acompanhando, desde o princípio, o movimento de ocupação nas escolas, encontram-se reunidos, na sede da Procuradoria-Geral de Justiça, procuradores e promotores de Justiça com atuação nas áreas de Educação, Direitos Humanos e Infância e Juventude, para traçar estratégias de intervenção institucional, visando à superação da situação que se apresenta". 

Ocupa Paraná 

Em sua página no Facebook o movimento Ocupa Paraná publicou às 16h45 uma nota a respeito da morte do estudante: "Nós do movimento Ocupa Paraná informamos preliminarmente, apesar da confirmação da morte de um estudante em uma escola ocupada em Curitiba, que não há nenhuma informação concreta sobre a motivação dessa morte e também nenhuma informação repassada aos mais de 10 advogados do movimento que estão proibidos de entrar no local para dar suporte aos outros estudantes da ocupação que estão lá dentro com a polícia civíl", diz a nota.

A última atualização feita pelo movimento no Facebook acerca das ocupações, às 19h49 da última quinta-feira (20), aponta um total de 835 escolas ocupadas no Paraná, 14 universidades e três núcleos de educação. 

Com informações das repórteres Viviani Costa e Mariana Franco Ramos da Folha de Londrina

Nenhum comentário: