quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Mídia internacional repercute decisão de Moro de aceitar denúncia contra Lula

Confira como The New York Times, The Guardian, Le Monde e outros veículos da imprensa internacional noticiaram a decisão do juiz Sérgio Moro de aceitar a denúncia contra o ex-presidente Lula



A decisão do juiz Sérgio Moro de aceitar, nesta terça-feira 20, a denúncia da força-tarefa da Operação Lava Jato contra o ex-presidente Lula por corrupção e lavagem de dinheiro no caso do apartamento no Guarujá gerou grande repercussão na imprensa internacional.

Para o jornal britânico The Guardian, “o palco está montado para o julgamento mais carregado politicamente na história moderna do Brasil”.

O diário britânico diz que a decisão “vem no momento de intensa turbulência política e econômica” e “elevará ainda mais a temperatura” no país.

A reportagem acredita que as tensões são exacerbadas “pela investigação da Lava Jato que dura dois anos e uma conspiração para encerrar 13 anos do PT no poder”.

Para o The New York Times, jornal mais influente do mundo, a decisão ocorre “em meio a um debate nacional sobre se os promotores estão ultrapassando seus esforços para prender” Lula.

O francês Le Monde disse que o magistrado aceitou as acusações “disposto a enfrentar a controvérsia de uma acusação fundada sob indícios frágeis, que pode gerar inquietação em muitos brasileiros”.

Já o argentino Clarín apontou a “assombrosa rapidez” de Moro em aceitar a denúncia, que foi apresentada na semana passada com muita polêmica.
ACUSAÇÃO

Na última semana, a denúncia contra Lula apresentada por Deltan Dallagnol também ganhoudestaque na mídia internacional. Na ocasião, o The New York Times disse que as denúncias em si contra o ex-presidente são “muito limitadas” e que “a quantia de dinheiro da qual Lula é acusado de receber nas reformas do apartamento não é nada comparada ao que outros [políticos] foram acusados de receber nos últimos anos”.

Já o diário americano Chicago Tribune afirmou que os promotores brasileiros foram econômicos ao apresentar as provas contra Lula – o que poderia colocar em xeque o futuro da Operação Lava.

Para o “Chicago Tribune“, “o fosso escancarado entre as acusações verbais e as denúncias (formais) levantaram questões sobre o futuro da investigação”. Se por um lado as “acusações drásticas” podem ajudar os promotores a manter o caso em sua jurisdição, por outro, implicam “riscos” de que a investigação seja vista como politizada.

Nenhum comentário: