sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Michel Temer não escapa de vaias e protestos na abertura dos Jogos Paraolímpicos

Ainda que a organização tenha se esforçado para esconder Michel Temer, o presidente foi muito vaiado enquanto declarava a abertura do evento. Os gritos de 'fora Temer' se intensificaram e o chefe do executivo foi embora antes do previsto ao lado da esposa, Marcela. Ambos não viram a pira ser acesa por Clodoaldo Silva



A participação de Michel Temer na cerimônia de abertura dos Jogos Paraolímpicos, nesta quarta-feira (7), no Maracanã, foi discreta, mas nem por isso o presidente escapou dos protestos. Durante a sua rápida fala, que decretou o início do evento, Temer foi bastante vaiado.

A breve declaração de Temer: “declaro abertos os Jogos Paraolímpicos do Rio de Janeiro-2016” se deu logo depois dos discursos de Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), e Philip Craven, presidente do Comitê Paralímpico Internacional (CPI).

O presidente, ao lado da primeira-dama Marcela (que bateu palmas no momento da fala do chefe de Estado), não escapou do público com gritos de “fora, Temer”.

A imagem de Temer inclusive demorou para aparecer durante a declaração. Logo depois do discurso e do juramento dos atletas, o peemedebista foi embora conduzido até a saída da tribuna por Nuzman e não viu a pira ser acesa por Clodoaldo Silva.

Nuzman, aliás, teve de interromper sua fala por manifestações políticas, logo depois de agradecer aos governos federal, estadual e municipal pelos “esforços praticados”. Os presentes começaram com gritos de “fora, Temer”, e o presidente do COB imediatamente parou seu discurso. Na sequência, outra parte se manifestou com vaias e gritos de “Brasil”.

Não foi a única que vez que o presidente foi lembrado negativamente no Maracanã. Antes mesmo de a festa começar, o estádio gritou em alto e bom som um “fora, Temer”, seguido de vaias.

Temer evitou ao máximo se expor. A exemplo do que aconteceu na abertura da Olimpíada, não foi apresentado no início da cerimônia – desta vez sua apresentação nem estava prevista no roteiro.

Vale lembrar que Temer, na abertura da Olimpíada, passou por situação semelhante e, mais adiante, optou por não participar do encerramento da Rio-2016.

A quarta-feira, mesmo fora do Maracanã, foi marcada por manifestações contra o presidente em algumas capitais do país, como São Paulo e Recife.

VÍDEOS:

Nenhum comentário: