sexta-feira, 2 de setembro de 2016

DEPOSIÇÃO DA PRESIDENTA DILMA CONSOLIDA GOLPE DE ESTADO NO BRASIL

Votaram pela condenação de Dilma no julgamento do impeachment 61 senadores, enquanto 20 se decidiram pela absolvição. Na votação sobre a perda dos direitos políticos por oito anos, 42 senadores votaram pela imposição desta pena à petista, enquanto 36 decidiram de forma contrária

Consolidado o golpe de Estado, no Brasil, a presidenta Dilma Rousseff é deposta e o presidente de facto, Michel Temer, assume agora o poder, escorado em uma base parlamentar formada pelas forças da ultradireita e parcela dos senadores identificados com a centro-direita. O Senado condenou nesta quarta-feira a presidente afastada Dilma Rousseff por crime de responsabilidade cassando o mandato obtido na eleição de outubro de 2014, embora tenha mantido seu direito de exercer cargos públicos.

Votaram pela condenação de Dilma no julgamento do impeachment 61 senadores, enquanto 20 se decidiram pela absolvição. Na votação sobre a perda dos direitos políticos por oito anos, 42 senadores votaram pela imposição desta pena à petista, enquanto 36 decidiram de forma contrária. Eram necessários 54 votos favoráveis à inabilitação de Dilma para que essa sanção fosse imposta.

Dilma faz discurso de despedida do cargo de presidenta da República, após a deposição no golpe de Estado, consolidado no país

Consumado o golpe, a presidenta deposta concedeu entrevista coletiva no Palácio da Alvorada, ao lado do ex-presidente Lula, de ex-ministros e líderes de movimentos sociais. Dilma Rousseff fez um de seus discursos mais duros contra o golpe e o governo do presidente de facto. Segundo afirmou, ela agora “entra para a História das grandes injustiças”.

— Senadores decidiram rasgar a Constituição. Condenaram uma inocente e consumaram um golpe parlamentar — afirmou, sobre políticos que “buscam o poder desesperadamente” sem seguir o caminho do “voto direto, como fizemos Lula e eu”.

Dilma acredita que ”a história será implacável com eles”, os articuladores do golpe de Estado. A presidenta deposta foi enfática quanto à continuação da luta contra a perda de direitos dos trabalhadores e para “construir um Brasil melhor”.

— Haverá contra eles a mais determinada oposição que um governo golpista pode sofrer. Nada poderá nos fazer recuar. Não direi adeus a vocês, tenho certeza que poderei dizer ‘até daqui a pouco'”, acrescentou.

— Nós voltaremos. Voltaremos para continuar nossa jornada rumo a um Brasil onde o povo é soberano. Eu, a partir de agora, lutarei incansavelmente para construir um Brasil melhor — afirmou.

Assista ao pronunciamento:

Nenhum comentário: