quinta-feira, 14 de julho de 2016

SÓ 4 DOS 38 VEREADORES DE CURITIBA VÃO DISPUTAR A REELEIÇÃO


Só 4 dos 38 vereadores de Curitiba não vão disputar a reeleição; veja quem são
Jorge Bernardi (Rede), Aladim Luciano (PV), Ailton Araújo (PSC) e Professor Galdino (PSDB) confirmaram que deixam a Câmara ao final deste ano


Dos 38 vereadores de Curitiba, apenas quatro não vão participar do pleito de 2016: Jorge Bernardi (Rede), Aladim Luciano (PV), Ailton Araújo (PSC) e Professor Galdino (PSDB). Os parlamentares deixarão as funções e as comissões em dezembro por motivos distintos, que vão de dedicação à panificadora da família a um novo Galdino, irmão do “original”.

Em 2012, a Casa se renovou em quase 50% em relação ao pleito de 2008. O número ainda é um indicativo, já que a oficialização das candidaturas ocorrerá apenas em agosto, segundo determinação do Tribunal Superior Eleitoral.
Professor Galdino sai das eleições em 2016, mas Câmara pode ter novo Professor Galdino


O caso mais inusitado é mesmo o do vereador Professor Galdino (PSDB). Ele confirmou à Gazeta do Povo que não deve concorrer à reeleição, e que apoiará o seu irmão, Eduardo, que também pode assumir a alcunha de “Professor Galdino”.

O atual presidente da Câmara Municipal também vai deixar a casa. Depois de cinco legislaturas (de 1989 a 2016) e de passagem pela Assembleia Legislativa do Paraná, Ailton Araújo (PSC) disse estar decepcionado com a política e prefere dar um tempo.

Publicidade

“Estou frustrado com a atual situação. A demanda ainda é muito alta e a Casa tem problemas na administração. Decidi não tentar a permanência porque já não posso fazer nada em relação a algumas vontades pessoais. Tentei consertar o que pude. Mudei algumas coisas, outras não. Se surgir uma boa oportunidade em outro setor, devo encarar. Sinto-me realizado, fiz o que tinha que fazer. Pelo menos eu tentei”, afirma. “Valeu a pena, mas o preço foi muito alto”, completa.veja também

Ele cita como exemplo de atrito as negociações em torno da nova sede da Câmara. “Quis construir a nova sede a todo custo. No meu entendimento ela tem que sair do papel. É uma necessidade. Mas isso levou a uma série de questionamentos que foram barrando o projeto. A imprensa desceu a lenha na gente. Nós não temos respaldo. Hoje em dia a política está tão desgastada que tudo é visto como picaretagem. Você é jogado num balaio, e isso cansa”, argumenta.

Padaria e Academia

O ex-jogador de futebol Aladim Luciano (PV), com passagens por Coritiba e Atlético, cumprirá três mandatos ao final dessa legislatura e tomou a decisão de pendurar o sapato no final do ano passado. Segundo o gabinete do vereador, ele “contribuiu o suficiente e sente que já não consegue contribuir mais com o necessário”. “É uma questão pessoal. A família pede há tempos para ele deixar a vida pública. Ele também completa 70 anos em 2016 e vê a aposentadoria no horizonte”.

Aladim tem netos pequenos e é dono de uma panificadora no Bacacheri que abre de domingo e domingo, a qual ele se dedicará com exclusividade a partir de 2017.

Ibope aponta empate entre Greca, Fruet e Requião Filho para a prefeitura de Curitiba


Já Jorge Bernardi (Rede), na reta final do seu sétimo mandato, depende de uma sinalização partidária, mas pode deixar a atividade pública no próximo ano. Segundo o vereador, o partido ainda discute uma articulação para a Prefeitura: ele pode ser lançado de maneira individual ou compor uma chapa como vice-prefeito. Mas um novo mandato na Câmara não passa pela sua cabeça.

“Sou muito honrado pelo apoio que tive durante todos esses anos. Completei 60 anos e estou na atividade legislativa desde a Ditadura Militar, em 1982. Já fui presidente da Casa, aprovei medidas inéditas em todo o país como o uso obrigatório do cinto de segurança e o percentual de vagas para pessoas portadoras de deficiências em concursos públicos. Até mesmo a maior obra dessa gestão, a ciclofaixa, é oriunda de um projeto meu, de 1999, que foi readaptado após audiências públicas, então sou feliz com o que fiz”, pondera.

Vice-reitor da Uninter, professor universitário, doutorando e autor de diversos livros, Bernardi afirma que já capacitou 18.500 gestores públicos – 70 mil alunos no cômpito geral de sua atuação. Ele quer dar continuidade na vida acadêmica. A própria Câmara Municipal de Curitiba na atual legislatura conta com três ex-alunos de Bernardi: Noema Rocha (PMDB), Cacá Pereira (PSDC) e Toninho da Farmácia (PDT).
Os pré-candidatos

Os gabinetes dos demais 34 vereadores confirmaram à reportagem que os parlamentares têm intenção de concorrer. O caso mais emblemático é o de Dona Lourdes (PSB), que completa 89 anos em dezembro, e terminaria um possível próximo mandato aos 93 anos.

Jairo Marcelino (PSD) deve buscar a nona eleição e Tito Zeglin (PDT), Aldemir Manfron (PP) e Paulo Salamuni (PV) buscam a reeleição pela oitava vez. Sabino Picolo (DEM) e Julieta Reis (DEM) vão para a sexta tentativa. Zé Maria (SDD), Tico Kuzma (PROS), Serginho do Posto (PSDB), Professora Josete (PT), Pedro Paulo (PDT), Jonny Stica (PDT), Noema Rocha (PMDB), Felipe Braga (PSD), Dona Lourdes (PSB), Dirceu Moreira (PSL) e Beto Moraes (PSDB) também tentarão a reeleição. São 17 ao todo.

A outra metade tentará voltar ao cargo pela segunda vez: Bruno Pessuti (PSD), Cacá Pereira (PSDC), Carla Pimentel (PSC), Chicarelli (PSDC), Chico do Uberaba (PMN), Colpani (PSB), Cristiano Santos (PV), Edson do Parolin (PSDB), Geovane Fernandes (PTB), Helio Wirbiski (PPS), Mauro Ignácio (PSB), Metres POP (PSC), Paulo Rink (PR), Pier Petruzziello (PTB), Rogério Campos (PSC), Tiago Gevert (PSC) e Toninho da Farmácia (PDT).

Vereadores que não se candidatarão à reeleição


Ailton Araújo (PSC)


Aladim Luciano (PV)


Professor Galdino (PSDB)


Jorge Bernardi (Rede)

Eriksson Denk, especial para a Gazeta do Povo 


Nenhum comentário: