quinta-feira, 14 de julho de 2016

Pastor pede que fiéis doem carros como 'prova de fé' e voltem a pé para casa


Pastor evangélico pede doação de carro, moto e caminhão como 'prova de fé' e sugere que fiéis voltem a pé para casa: “Pega esse carro, essa porcaria, essa lata de R$ 50 mil, R$ 100 mil, R$ 600 mil e doa, dá confiando, porque Deus está te chamando”. Vídeo causou revolta nas redes sociais

(Imagem: O pastor evangélico Rogério Formigoni)

O vídeo de uma pregação do bispo Rogério Formigoni, da Igreja Universal do Reino de Deus, causou alvoroço nas redes sociais. No registro (assista abaixo), o religioso pede que os fiéis doem para a Igreja “esse carro, essa porcaria de R$ 50 mil, R$ 100 mil, R$ 600 mil”

“Pega esse carro, essa moto, esse caminhão. Pega isso, coloca no altar, sacrifica, que, em breve, você vai ter dinheiro para comprar uma Lamborghini. Se não quiser a Lamborghini, vai ter dinheiro para comprar o que quiser”, grita Rogério

O pastor encoraja ainda a doação de veículos que acabaram de ser comprados. “Acabei de comprar, mas dá! Dá confiando, dá crendo, dá porque Deus está te chamando”, afirmou.

Por fim, o religioso ensina como serão os trâmites das doações e sugere que os fiéis que decidirem doar voltem para a casa a pé, de táxi ou de ônibus.

“Pega esse carro, essa porcaria, essa lata de R$ 50 mil, R$ 100 mi, R$ 600 mil e doa. No fim da reunião, tem o pastor Antônio que vai te dar o termo para você transferir. Hoje, você vai embora de táxi, vai de ônibus, vai a pé. Segunda-feira, você vai pegar o valor desse carro e colocar no altar de bronze. Depois, você vai ter dinheiro para comprar à vista”, disse.

Não é crime pedir doações, no entanto, se algum dos fiéis se sentir coagido a entregar algum bem, é possível entrar na Justiça e pedir a restituição, além de danos morais e materiais. Em 2010, a Universal perdeu um processo e condenou a igreja a devolver um carro a uma mulher, após prometer que, se agisse dessa forma, o filho dela estaria curado de uma doença, o que não ocorreu.


VÍDEO:
com informações do jornal Metrópoles

Nenhum comentário: