quinta-feira, 5 de maio de 2016

BISPO DA UNIVERSAL ACEITA CONVITE DE MICHEL TEMER PARA SER MINISTRO

Bispo da Igreja Universal do Reino de Deus aceita convite de Michel Temer para assumir o Ministério da Ciência e Tecnologia. Confira outros nomes que já são dados como certos em outras pastas


(Imagem: Bispo Marcos Pereira)


O presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, aceitou o convite do vice-presidente Michel Temer para assumir o Ministério da Ciência e Tecnologia caso o Senado confirme o afastamento da presidente Dilma Rousseff.

Bispo licenciado da Igreja Universal do Reino de Deus, ex-vice-presidente da Record e advogado, Marcos foi recebido por Temer nesta segunda-feira (2) à noite no Palácio do Jaburu. As informações são do Congresso em Foco.

Em artigo publicado no Facebook nessa segunda-feira, o presidente do PRB disse que o partido está disposto a fazer “sacrifício em favor da união nacional” para as “reformas necessárias”. “Nossa esperança é a de que o novo governo não cometa os mesmos erros deste que está prestes a se encerrar. Temos conosco a expectativa de, juntos, deixarmos um legado para o futuro. O Brasil pode contar com o PRB”, escreveu o provável novo ministro.

O Ministério de Ciência e Tecnologia, comandado até semana passada pelo deputado peemedebista Celso Pansera, foi oferecido ao PRB a cúpula partidária e Temer não chegaraem a um acordo nas negociações em torno do Ministério da Agricultura e da Secretaria Especial de Portos.

O PRB rompeu com o governo Dilma após ter ocupado as pastas da Pesca, com Marcelo Crivella (RJ), também bispo da Universal, e do Esporte, com o deputado e bispo George Hilton (MG). O parlamentar mineiro trocou o PRB pelo Pros. A bancada do PRB foi a que mais cresceu no início desta legislatura. Atualmente a legenda ocupa 22 cadeiras na Câmara e uma no Senado, com Crivella.

Na mensagem publicada no Facebook, Marcos Pereira diz que o PRB deixou o governo Dilma Rousseff e o Ministério do Esporte em pleno ano de realização das Olimpíadas por “entender que houve crime de responsabilidade e pela dificuldade de diálogo que a presidente e seus auxiliares mais próximos sempre impuseram aos aliados”.

Nos meios políticos de Brasília, já se dá como certa a indicação dos seguintes ministros por Michel Temer:

Henrique Meirelles – Fazenda
José Serra – Relações Exteriores
Eliseu Padilha – Casa Civil
Geddel Vieira Lima – Articulação Política
Romero Jucá – Planejamento
Mendonça Filho – Educação

Congresso em Foco

Nenhum comentário: