quinta-feira, 28 de abril de 2016

"SÓ PORQUE SOU NEGRO TENHO QUE SER O GARÇOM?"

Ator Luís Miranda desabafa após ser confundido com garçom em restaurante no Rio de Janeiro, na Barra da Tijuca. Antes de ir embora, ator deixou “um bilhete um pouco desaforado” para a moça que o “confundiu” com um funcionário do estabelecimento

O ator Luis Miranda e a imagem do bilhete deixado para a cliente que o confundiu com um garçom


O ator Luís Miranda, da Rede Globo, ficou irritado após ser confundido com um garçom em um restaurante japonês na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

No local, uma cliente perguntou ao ator, que é negro, se havia mesa disponível para duas pessoas. Luís respondeu: “Sou negro, mas nem por isso sou garçom aqui. Só porque sou negro tenho que ser o garçom, né? Não trabalho aqui não”.

Em entrevista ao Buzzfeed, Miranda diz que o que mais o incomodou foi que a pessoa nem pediu desculpas: “Fui ao banheiro e uma mulher me confundiu com o garçom. Eu fiquei p* porque ela nem pediu desculpas”, disse.

“Ela foi racista comigo. Não é porque ela me confundiu com o garçom, mas porque ela não me pediu desculpas. Eu não estava do lado dela. Eu estava subindo para ir ao banheiro. Você olha para as pessoas ao lado, entendeu? Você entra num restaurante e chama qualquer pessoa de garçom por causa da cor?”, questiona o ator.

Contou que, antes de ir embora, fez questão de “mandar um bilhete um pouco desaforado”. “As pessoas precisam observar antes de qualificar, não se entra em um lugar e pede uma mesa para quatro pessoas [para qualquer pessoa]. Não é assim que a banda toca”, disse.

“Não sou garçom, assim como você não é. Sou cliente assim como você, mas existem coisas que me diferem, como por exemplo o seu preconceito! Não poderia ir embora sem te mandar tomar no c…”, dizia o bilhete.
Racismo

Para Luis Miranda, uma das expressões racistas que mais lhe incomodam é a “neguinho”. “O tal do ‘neguinho’ me incomoda muito. ‘Neguinho fez isso, neguinho faz aquilo’”.

“Falar ‘neguinho’ soa mal para quem é negro e o uso recorrente da expressão vem sempre carregada de preconceito”, observa o ator.

Para Luis, não adianta tentar dizer que a expressão não tem a ver com os negros. “Não adianta querer falar que usou ‘neguinho’ como expressão. É uma coisa de raça sim, mesmo que a situação não tenha nada a ver”, finaliza.
Outro lado

Leandro Cerqueira Leite estava acompanhando a mulher que confundiu Miranda com um garçom no restaurante japonês. Para ele, o verdadeiro preconceituoso na história é o próprio ator.

“Entendi claramente que ele estava extremamente frustado por não ter sido reconhecido. Até porque, no mundo ‘hipocritamente correto’ de hoje, não reconhecer um ator deve ser um crime gravíssimo passível de pauta no Congresso e punição”, ironizou Leandro

“Eu jamais me ofenderia se fosse confundido com um funcionário de qualquer estabelecimento em que estivesse presente, como já fui confundido com vendedor, ou com qualquer profissional de qualquer profissão lícita”, escreveu. “Por acaso é algum demérito a profissão de garçom? Confundir uma pessoa que tenha outra profissão com um garçom tira sua honra ou dignidade?”, questionou.

Nenhum comentário: