quarta-feira, 6 de maio de 2015

MAIS DE 10 MIL PROFESSORES EM CLIMA DE PAZ, LEVAM FLORES À ASSEMBLEIA LEGISLATIVA NO CENTRO CÍVICO



Professores da rede estadual, servidores públicos e integrantes da sociedade paranaense foram às ruas de Curitiba na manhã desta terça-feira (5), em uma passeata contra a violência policial contra a categoria no último dia 29. O mesmo Centro Cívico que deixou um saldo de 213 feridos foi desta vez palco de uma ‘enxurrada’ de flores brancas e pedidos de paz.

A concentração do ato começou na Praça 19 de Dezembro, por volta das 9h. Segundo a Guarda Municipal de Curitiba, 25 mil pessoas participaram da manifestação, enquanto os professores falam em um número entre 20 mil e 22 mil. Já a Polícia Militar do Paraná informou, com base em seu cálculos, que 10 mil estiveram presentes.

Além dos servidores paranaenses, estiveram presentes integrantes de entidades de outros Estados, em apoio ao movimento cujo polo está em Curitiba. A Defensoria Pública do Paraná acompanhou a passeata, caso fosse necessária a garantia de manifestação. Ao contrário de quinta-feira passada, a PM apenas acompanhou o ato e não foram registrados incidentes.

Alguns cânticos dos manifestantes se destacaram e foram endereçados aos integrantes do governo estadual.


"Eu quero ver / se vai cair / o secretário que mandou nos agredir".

"É gás, é gás / é gás lacrimogênio / o perfume dos tucanos".

"Senhor Traiano / Eu tô na rua / Só pra dizer que a Assembleia não é tua".

"Você não vale nada / mas votaram em você / tudo que eu queria era saber porquê".

"A nossa luta unificou: é estudante, funcionário e professor".

"O Beto Richa vai ganhar / uma passagem para sair do Paraná / não é de carro, nem de trem, nem de avião / é com os deputados de camburão / fora Richa ladrão".

Flores brancas foram distribuídas e depois depositadas em frente à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep). Em seguida, representantes dos servidores foram recebidos pela Secretaria de Estado da Administração. O resultado das conversações ainda não foi divulgado. Enquanto o protesto seguia, foi divulgado que dois integrantes do governo foram demitidos.

Por volta das 13h, os professores seguiram para o estádio Vila Capanema, onde acontece às 15h a assembleia da APP-Sindicato, entidade que representa os docentes paranaenses. Os rumos da greve, que já dura 11 dias, será decidido nesta reunião da categoria. É a segunda greve dos professores em 2015. A primeira, no início do ano, durou 29 dias.

Com a paralisação, quase 1 milhão de estudantes seguem sem aulas em todo o Paraná. A greve, cujo término foi determinado pelo Tribunal de Justiça do Estado (TJ-PR), segue sendo contestada nos tribunais.

Nenhum comentário: